As melhores formas de lidar com erros e grandes vacilos que damos

As melhores formas de lidar com erros e grandes vacilos que damos

Ninguém é perfeito. Isso é verdade absoluta, mas sempre há maneiras de evitar dores de cabeça desnecessárias. Por um simples descuido de atenção e falta de comunicação, fui protagonista de um equívoco que quase acabou colocando um companheiro em uma situação complicada.

Apesar do ditado popular dizer que “Errar é humano”, quando falamos de determinados erros, eles podem ser corrigíveis ou até mesmo fatais à um negócio, podem prejudicar uma relação comercial ou gerar uma falta de confiança mútua. Por sorte, tive condições de corrigir a tempo meu erro e tudo deu certo no final, mas lidar com erros exige realmente maturidade.

Escorregadas sempre acontecem quando a gente menos espera. Por isso, precisamos estar os mais preparados possíveis para enfrentá-las. Policiar-se e evitar certas confusões desnecessárias podem ser um grande diferencial de profissionais.

Assuma o erro e evite a mesma experiência

Eu poderia dizer que meu erro foi causado por um contratempo externo, mas na realidade, foi mesmo um descuido pessoal. Quando lidamos com erros que trazem responsabilidades graves, o mais natural do ser humano é ter o desejo de empurrar a culpa do seu fracasso constatável para uma outra pessoa, situação ou condição.

Assumir os riscos de um erro pode não só nos fazer colocar a cabeça no lugar para tomar uma decisão inteligente como também pode nos fazer escanear melhor onde foi que erramos e** levantar possíveis medidas eficientes**.

Tenha o cuidado de preocupar-se em rever aquele caminho que deu errado para, de fato, notar em que momento falhou**. Crie uma cultura de não fugir das responsabilidades.** Para qualquer dificuldade que enfrentamos podemos retirar sempre algum aprendizado e melhorar nossos métodos. Redesenhar estratégia é fundamental para evitar erros repetidos.

Planeje-se antes, durante e depois do erro

Não espere que o erro se resolva sozinho. Alguns erros podem ser evitados e corrigidos apenas com um bom trabalho de planejamento. Realinhar estratégias pode ser útil não só para visualizar erros futuros antes deles acontecerem, mas também para reprogramar rotas que não deram certo de maneira imediata.

Evitar e gerir uma crise tem que passar pelo caminho de tomadas de atitudes importantes. Quando temos um caminho para contingências, tudo fica mais fácil de controlar.

Por este motivo, quando algo sair fora do que esperava, é bom que reserve seus recursos para levantar possibilidades de consertar possíveis danos e não para ficar remoendo sentimentos sem agir. Se você identificou um erro, você é um dos responsáveis por ajudar a corrigi-lo.

Esboce, estude e programe-se para não ter que enfrentar uma nova situação delicada, mas se ele acontecer, esteja pronto para mudar as rotas se for necessário, e, principalmente em colocar energia para um novo plano para funcionar.

Jamais esconda a sua falha

Imagine se um piloto de avião resolve esconder da torre de comenda uma informação que comprometa a integridade dos passageiros? **Em caso de turbulência, é melhor que todos estejam sabendo.  **

Nunca esconda informações com medo das consequências. Isso pode piorar muito a situação. Responsabilidade começa com a maturidade de enfrentar danos. Omitir ou até mesmo inventar histórias é a pior decisão que alguém pode tomar diante de um deslize.

Nunca gaste energia inventando desculpas, deixe todos os envolvidos responsáveis a par para que possam lidar com uma situação real. Além de ser ter mais força para traçar um caminho para estancar esta situação péssima, uma mentira pode piorar tudo muito rapidamente.

Quando não somos honestos, além de sermos taxados pelos erros, isso demonstrará uma imensa** falta de caráter** e certamente prejudicará a imagem que todos têm de você.

Em caso de represálias, você deve-se colocar no lugar de alguém que humildemente erra, mas sempre demonstra interesse em diminuir os danos daquelas circunstâncias ruins.

Tenha um plano e seja parte da solução

Se você é o culpado direto por ter gerado aquela situação desconfortável, você também deverá ser a primeira pessoa a se dispor em ser parte da solução dos embaraços que causou.

Faça questão de admitir que errou, e se possível, voluntarie-se para encontrar uma possível saída. Não perca seu tempo e energia tendo atitudes de autocomiseração, de vitimismo ou de stress além do necessário.

Existem erros reversíveis e irreversíveis. Para aqueles que não tem como voltar atrás, é melhor que esteja pronto para ser responsabilizado, mas faça questão de buscar uma maneira de reparar ou compensar danos.

Para os que talvez haja uma maneira de remediar, não meça esforço para recuperar sua credibilidade. Identificar e apresentar soluções podem não resolver por completo, mas pode minimizar prejuízos e mostrar que existe sim um comprometimento com o trabalho apesar dos enganos.

Desculpa pelo vacilo, mas como podemos mudar isso agora?

A melhor forma de lidar com os grandes vacilos é** estar sempre atento**, não deixar-se levar pelos cochilos de atenção recorrentes, reconhecer quais são os enganos e equívocos mais comuns e dobrar a atenção para erros e descuidos juvenis.

Falhas realmente acontecem. Algumas por inadvertência, por um pequenos lapso, mas é verdade que boas mancadas são por pura distração. Quando você der aquela bobeada grave, aprenda a crescer com ela. Não arrume desculpas, arrume soluções.