Como dar um feedback realmente útil

Como dar um feedback realmente útil

Feedback é um assunto importante. Como sabemos, grande parte do desenvolvimento de cada profissional dentro de uma organização começa com a compreensão do que está certo ou errado.

O popular Feedback tem sido uma das ferramentas mais importantes na complicada tarefa de instruir colaboradores e lapidar habilidades, sendo indispensável em qualquer operação.

O objetivo é sempre tentar trabalhar juntos os pontos fortes e fracos, apontando onde cada um está encaixando e como remover as fraquezas ao mesmo tempo que torna os pontos fortes ainda mais evidentes.

Na teoria tudo é muito bonito, mas na prática, é comum que estes feedbacks não sejam realmente úteis e, que ao final da reunião, nada do que foi dito seja aplicado.

Mas como fazer para dar feedbacks que serão utilizados e aplicados?

O que não pode faltar no feedback

Um bom feedback com capacidade de direcionar ao desenvolvimento deve possuir algumas características, entre elas estão:

Foco no cenário amplo: Um feedback útil deve responder a seguinte pergunta: O que essa pessoa deveria fazer mais e o que ela deveria fazer menos? É necessário uma visão estratégica sobre o que o colaborador faz ao longo do dia e o que não está funcionando bem, permitindo que sugestões apontem onde mudar para que o objetivo da organização consiga ser alcançado.

Alinhamento da organização: Grande parte dos feedbacks partem de uma visão própria ou preferências pessoais. No entanto, para alcançar um feedback realmente efetivo, é preciso partir de outra premissa, considerando como as atitudes precisam se alinhar com a os valores da empresa. Valores da empresa são desenvolvidos de acordo com conceitos que todos confiam e consideram universalmente eficientes, por isso devem ser a base para direcionar os feedbacks.

Seja específico sobre comportamento: Líderes adoram falar em metáforas e enfeitar o que estão dizendo. No entanto, termos como Inspirador, mais presença efetiva ou não demonstra comprometimento, são afirmações amplas mas que não dizem nada. Aponte exatamente o que está sendo feito ou sendo deixado de lado, trabalhando frases de impacto e jargões motivacionais em outro momento.

Trabalhe com fatos: Evite interpretações. Observe o que está sendo feito e como estão sendo os resultados. Dizer que alguém não tem confiança pode ser apenas uma interpretação incorreta e puramente pessoal do gestor sobre o profissional, não refletindo se na verdade a pessoa tem ou não essa característica. Utilize menos interpretação e mais realidade concreta. **Discuta diretamente ações e evite impressões pessoais. **

Positivo e negativo: Por mais que seja difícil, é preciso ser incisivo e pontuar os pontos negativos.** Feedback negativo é sempre um assunto sensível, mas faz parte do processo de mudança.** Os pontos positivos também devem ser destacados, o que muitas vezes acaba sendo esquecido. Feedback positivo traz motivação e gera incentivo para que o trabalho continue sendo feito com todo empenho possível.

Observe padrões: Tente dar feedback apenas sobre comportamentos que são freqüentes e que se repetem. Evite questionar deslizes que aconteceram apenas uma vez, já que normalmente são apenas uma bola fora. Discutir comportamentos raros representa apenas tempo importante desperdiçado. Observe o que é padrão e trabalhe em cima disso.

Trabalhe com prioridades: É comum que existam inúmeros pontos a serem trabalhados por um colaborador. Existem muitas áreas de conhecimento, pontos de eficiência e métodos que podem ser foco de mudança e apontamentos, mas é preciso resistir à tentação. Humanos conseguem focar em poucos assuntos de uma só vez,  e listar seis diferentes aspectos para serem trabalhados resultará em falha e frustração para ambos os lados. Trabalhe um assunto por vez, cuidando inicialmente do que é prioridade.

Por fim, precisamos ser criteriosos e precisos com os nossos feedbacks. São momentos onde trabalhamos com os medos e dificuldades das pessoas, correndo grande risco de causar algum tipo de decepção ou frustração.

É preciso que este momento não seja desperdiçado e que o que foi dito seja de fácil aplicação para quem recebeu, fazendo com que todo o trabalho seja convertido em aprendizado e melhores resultados.