Inside Sales ou Telemarketing?

Inside Sales ou Telemarketing?

Ninguém gosta de ser incomodado. Qualquer pessoa que já recebeu uma ligação não solicitada de um telemarketing, consumindo um enorme esforço para conseguir desligar o telefone, sabe o quanto esta forma de abordagem é incômoda.

Muita gente ainda confunde as abordagens do telemarketing com o processo de Inside Sales; duas formas de vender podem ser parecidas na superfície, mas são bem diferentes na prática.

Se você ainda não sabe muito bem onde como diferenciar uma equipe interna de vendas e o telemarketing, acompanhe os tópicos a seguir e descubra mais sobre Inside Sales.

Telemarketing é número, não qualidade

Em grande parte as empresas que trabalham com telemarketing não estão buscando leads de qualidade, clientes que entendam o potencial do negócio e saibam exatamente como serão beneficiadas com o produto que está sendo oferecido.

A operação dessas empresas utiliza enormes listas de contato, ligando exaustivamente para milhares de possíveis clientes e tentando vencer pelo cansaço. Quase todo mundo já recebeu, por semanas seguidas, ligações de empresas de telefonia tentando vender algum serviço. E mesmo quando já sinalizou que não tem interesse, na semana seguinte alguém volta a ligar fazendo a mesma proposta.

O processo de vendas internas acontece de forma bem mais precisa, abordando apenas leads qualificadas e que tenham sinalizado interesse no contato. Não existe incômodo.

É um pouco do que foi conversado no recente MoskitCast sobre a diferença entre o vendedor chato e o bom vendedor.

Marketing e Vendas

Outra grande diferença entre Inside Sales e Telemarketing é a forma que os clientes chegam até a empresa. No telemarketing são enormes listas de telefone, captadas das mais variadas formas, sejam bancos de dados antigos, listas telefônicas ou cadastros adquiridos de empresas falidas.

No Inside Sales os futuros clientes passam por um caminho um pouco mais longo até chegar a hora de conversar com um vendedor. Em conjunto um bom Inbound Marketing, os clientes precisam passar por um funil desenhado para atrair, informar educar e encaminhar a lea para o processo de venda.

Como funciona o processo de inside sales e inbound markekting

Fonte da imagem: Agência 3GO

Um time de especialistas

A abordagem do telemarketing costuma ser bem genérica. O padrão é um roteiro robótico, um atendente sem expressão e uma lista de procedimentos que não podem sair do trilho.

Quando tratamos de Inside Sales, o ideal é possuir um time de especialistas, uma equipe bem treinada e capacitada para compreender as dificuldades do cliente, fornecendo soluções customizadas e entregando um valor que vai além da simples aquisição do produto.

Uma boa equipe interna de vendas é capaz de identificar problemas que o cliente ainda não tem conhecimento, prever imprevistos futuros e reduzir bastante a insatisfação dos clientes, garantindo que o número cancelamentos e reclamações não serão um problema para sua empresa.

Apoiados pela tecnologia

Além de todas as diferenças na postura dos profissionais e na abordagem de vendas, uma bom time de vendas é munido de um extenso arsenal tecnológico.

Para garantir que o cliente está completamente envolvido no processo, consciente dos benefícios que pode extrair da solução apresentada e não ficou com dúvidas que possam afetar sua experiência de compra, equipes adotam ferramentas que vão desde softwares para acesso remoto, apresentação virtual e atendimento, até um completo sistema de CRM, capaz para gerenciar com qualidade o relacionamento com seus clientes.

  • As semelhanças entre Telemarketing e Inside Sales não vão muito além do uso do telefone e a ausência de um vendedor na rua visitando clientes.

O uso do telemarketing já está saturado pelo mercado e frequente causa de frustração nos clientes, considerado um método agressivo, incômodo e invasivo.

Por outro lado, uma equipe de vendas interna se mostra cada vez mais eficiente ao encantar o cliente e oferecer uma forma de venda menos invasiva, entregando resultados com maior qualidade e uma maior capacidade de conversão.