Não cometa estas besteiras ao fazer uma gestão

Não cometa estas besteiras ao fazer uma gestão

Os benefícios da incorporação do CRM em uma organização vão além dos clichês mais comuns.

Todo mundo quer vender sistema por si só, mas quando uma tecnologia é utilizada com toda a sua amplitude e potencialidade, você pode ter nas mãos uma ferramenta poderosa de gestão interna, de gestão com o cliente e de conhecimento de estratégias de mercado.

Está na mão dos gestores buscarem os resultados. O que não pode é apenas cometer algumas gafes que comprometem os resultados. São elas:

Não se importar em gerenciar informações de contato do cliente

Este é um dos fundamentais momentos da história de vendas para entender que não há inteligência comercial dentro de um mercado quando o gestor ignora que precisa de um gerenciador de dados dos seus clientes.

Não deve ser novidade que o consumidor assumiu um papel de protagonista dentro do processo de vendas, seja ela qual for, por isso, se você não tiver um grande banco de dados sobre o seu cliente e não se importar com cruzar os dados de históricos, comportamentos e gestão,  não verá a suas oportunidades de vendas crescerem.

Não avaliar com precisão seus dados

Por outro lado talvez, você já tenha reconhecido que precisa de inteligência de dados para chegar nesse cliente, então, contrata milhares de ferramentas para sua equipe e até mesmo para você ter uma visão mais ampla da sua operação comercial, mas acaba por não investir tempo e desempenho em otimizar realmente as informações que essas ferramentas proporcionam.

Não adianta contratar ferramentas se a mentalidade de querer realmente fazer uma gestão de ponta e trazer qualidade para o seu atendimento não estiver implantada na sua cultura.

O gestor é quem puxa essa fila, então, é ele que precisa aprender a lidar com relatórios, ter insights de negócio, a analisar com cuidados tudo que acontece e estabelecer estratégias sólidas de ataque comercial. E isso, só acontece com duas coisas: Ferramentas certas e desejo de alimentá-las com inteligência e disciplina.

Não organizar as interações com os clientes em um local único

Sem organização, não tem negócios lucrativos. Todo negócio chega num momento que precisa amadurecer e crescer de verdade.

Para isso, alguns desafios são sempre comuns: Organizar leads, saber como interagir, qual é o melhor momento, como encontrar informações e registros de prospects, como saber como abordá-lo precisamente. Tudo isso precisa estar num local, fácil, rápido e acessível para o time de vendas.

Na era da customização de atendimento, da velocidade, da digitalização e do protagonismo do consumidor, não podemos mais usar as tradicionais agendas, os blocos de notas, as pastas de fichas de clientes. A competição virou coisa de gente grande e se você quer ter um negócio valoroso, precisa aprender a usar ferramentas que sejam aptas a isso.

Não finja que sua operação de vendas está organizada apenas porque você tem um escritório legal. É preciso resultados concretos para sentir-se seguro. Além disso, vendedores que sentem um clima de trabalho confuso, tendem a estar mais desmotivados. Arrume a casa, implante processos que aumentem e otimizem seus vendedores e verá que a organização gera receita.

Não acompanhar as tendências da empresa

Qual é o seu vendedor que rende mais? Qual é aquele que precisa de ajuda para fechamento? Qual está pronto para encarar novos cargos? Qual você pode confiar nos resultados?

Todas essas perguntas podem ser respondidas apenas com tecnologia alinhadas a gestão de pessoas. Ser um gestor que não conhece os resultados da sua equipe com precisão ou que não se importa com os números individuais pode causar um desconforto na equipe e também estar mais pedido do que imagina.

Há muitos relatos de pessoas que reclamam que seus gestores são perdidos dentro do seu próprio departamento. Isso o descredibiliza, tira sua autoridade e ainda mina a autonomia do gestor. Aprenda que a única forma de fazer gestão hoje é mesclando entre conhecer bem pessoalmente os seus liderados e conhecer bem o desempenho deles.

Não se importar em entender preferências, hábitos e ações dos clientes

Eu sei que embora toda empresa diz entender seus clientes, algumas delas ainda fazem isso muito por intuição da sua equipe ou por meios quantitativos frios.

Importar-se com o que o o cliente se importa é metade do caminho para vender mais. Conhecer os hábitos e costumes dele provavelmente aproximará mais ainda a relação entre vendas e confiança. Entender porque o cliente fala, faz e vive determinada vida também é uma das maneiras de converter interesse em vendas.

Neste sentido, não é possível para aquele gestor que quer render o máximo em vendas, apenas não se atentar às novas maneiras de fazer negócios, de ganhar oportunidade, de realizar uma jornada de compra customizada para o cliente.

A tecnologia, através de ferramentas otimizadas é este diferencial que você pode ter na sua empresa. Já falamos aqui neste blog sobre como identificar o nível de inteligência comercial em que sua empresa está e como fazer uma gestão eficiente para cada realidade. Isso não só diminui os riscos do negócio, traz mais conhecimento e leitura ampla de mercado, como também traz gestão eficiente e inteligência nas decisões.

É preciso usar todos os artifícios possíveis para obter performance real. Se você deseja conhecer os seus clientes, lidar com dados reais, organizar sua operação e conhecer melhor seus liderados para desenvolvê-los corretamente, faça um teste gratuito no Moskit.

Nos dias de hoje, não dá para brincar de ser gestor.