Trabalhar de casa pode ser um inferno

Trabalhar de casa pode ser um inferno

Trabalhar de casa sempre foi um sonho.

Não precisar me preocupar com qual roupa vou vestir, escolher perfeitamente o lugar onde vou passar 8 horas do meu dia e, melhor ainda, não precisar encarar o trânsito do horário comercial.

As vantagens para quem trabalha de casa parecem muitas, mas nem tudo são flores.

É fácil enlouquecer – quase literalmente – trabalhando de home office. Passo longos períodos onde meu único contato humano é minha esposa, que sai para trabalhar antes do sol nascer e chega em casa só no fim do dia.

A falta de contato humano e a ausência da movimentação que existe saindo de casa todos dias, fazem mais falta do que pode parecer. Eu, que nos últimos 8 meses trabalhei apenas de casa, já consegui sentir alguns dos grandes problemas.

Alguns dos problemas

A solidão é, sem a menor dúvida, o primeiro problema de trabalhar de casa. E até quem tem um perfil mais introvertido e costuma ficar mais quieto, acaba sentindo os efeitos do isolamento. Nas primeiras semanas pode até não fazer diferença, mas com o tempo o problema acaba se agravando.

Ficar sem falar com pessoas diferentes interagir e cumprir o mínimo do social fere uma característica básica humana. Gostando ou não de assumir, somos seres sociais.

Logo depois da solidão surgem os problemas físicos. Apesar de ser mais fácil manter uma alimentação saudável em casa, a disposição de comer quando quer e fazer lanches não programados ao longo do dia é uma enorme armadilha.

Ao lado da alimentação, não sair de casa reduz nossos gastos calóricos, já que nos movimentamos muito menos durante o dia. O resultado destes dois fatores é simples, trabalhar de casa é uma grande armadilha de ganhar peso.

Como se solidão e ganho de peso não fossem o bastante, é** comum perder a noção da rotina e começar a trabalhar nos mais diversos horários**, perdendo a clara noção de quando começa e quando termina o expediente.

Eu passei por todos esses problemas nos últimos meses, e vou contar para vocês como resolvi todos eles.

Driblando o sedentarismo produtivo

Ao contrário do que pensam as pessoas que não trabalham de casa, o home office causa um efeito perverso no psicológico do profissional. O desaparecimento da divisão casa-trabalho traz um senso de alerta constante e difícil de desligar.

Sempre estamos fazendo algo importante ou prestes a fazer algo urgente. O trabalho se torna a desculpa perfeita para tudo.

Comemos mal porque temos trabalho para fazer. Não vamos à academia porque o dia está corrido e, é claro, não conseguimos parar para ler um livro e assistir televisão porque existem alguns emails para responder.

A primeira coisa a se mudar é a definição de limites. A hora que começa e que acaba o expediente, assim como a hora certa de realizar cada atividade.

É difícil no começo, mas se não deixar bem claro onde cada atividade encaixa, a desculpa da produtividade não te deixará fazer mais nada.

Tenha alguma atividade física

Mudando do trabalho para a rotina de home office, meu medidor pessoal de movimentos que uso faz anos acusou uma diferença de quase 2 mil calorias ao dia. Simplesmente pela mudança da rotina.

Minha solução para isso pode parecer simples, mas foi essencial para começar a perder os 15kg que ganhei nos primeiros 4 meses de home office.

Uma boa caminhada de 30 a 60 minutos foi o suficiente para reequilibrar meu gasto energético e fazer o corpo consumir as gordurinhas estocadas. Assim como fazemos com a rotina um pouco mais agitada, não precisa caminhar ou fazer nada drástico, uma boa caminhada por um longo período é o suficiente.

Além do gasto calórico, o sol tem um papel muito importante na nossa saúde, sendo responsável pelo sistema imunológico e importantes regulações hormonais.

Interagindo com o mundo

Substituir algumas trocas de emails por conferências em vídeo é uma ótima forma de interagir com os outros trabalhadores e trazer de volta o sentimento de estar em contato com o mundo.

Mais ainda, reuniões em grupo nos fazem sentir que ainda somos parte do time e que não fomos excluídos.

Outra tática que adotei foi frequentar uma academia diariamente. Por mais que eu não interaja com as pessoas por lá, é bom ver pessoas diferentes e sentir que ainda possui uma interação social, por menor que seja.

Academia inclusive que ajuda também no problema do sedentarismo.

Assegure-se dos seus horários

Por conta própria já caímos no deslize de deixar o trabalho assumir todo nosso tempo livre. Pior ainda, levamos trabalho para cama, almoçamos realizando tarefas e misturamos atropelamos atividades pessoais para continuar trabalhando.

Se nós mesmos já fazemos isso, imagine convencer as outras pessoas que estamos trabalhando. É comum familiares pedirem favores no meio do dia e até mesmo se irritarem quando não são atendidos.

Saber definir seus horários e educar as pessoas que moram com você para respeitar sua janela produtiva é essencial para evitar problemas futuros.

É importante saber a hora de sair da mesa do trabalho, quando realizar suas atividades físicas e, também desligar do mundo com mero entretenimento.

Por mais que possam existir benefícios, o regime de home office esconde algumas armadilhas perigosas, e que dependendo da personalidade são difíceis de contornar.

Se você já faz home office, observe bem como os pontos acima estão sendo trabalhados e tente modificá-los aos poucos. Para você que pensa em começar a trabalhar de casa, prepare-se para começar definindo uma rotina mais rigorosa, realizar este processo no começo torna tudo bem mais fácil.