O que aprendemos com o filme A Grande Aposta

O que aprendemos com o filme A Grande Aposta

A grande aposta é um filme de 2015 e explica de uma forma bastante didática os eventos que levaram ao colapso econômico de 2008.

Aqui no Brasil a crise imobiliária dos Estados Unidos não gerou reflexos tão marcantes, mas no resto do mundo criou uma crise forte o suficiente para causar a falência de países inteiros, como foi o caso da Grécia.

Inspirado no livro de 2010 e escrito por Michael Lewis, The Big Short, como é chamado em inglês, traz lições importantes sobre negócios, mercado financeiro e economia internacional, conhecimento que pode mudar a forma como um gestor observa o mundo e aborda seus negócios.

A crise de uns é a oportunidade de outros

Existe um ditado que não sei bem a quem atribuir - já fiz uma pesquisa e cada um aponta um autor diferente - mas que diz:

"Uns choram, outros vendem lenços"

A mensagem que o filme transmite logo de cara é de que em tempos de crise, existem oportunidades ocultas. Na história, um grupo de pessoas consegue enxergar que os títulos do mercado imobiliário estão sendo vendidos de forma fraudulenta, misturando títulos bons e ruins para serem vendidos em grandes pacotes supostamente de alta qualidade - com maiores chances de serem pagos.

Ao observar o que estava acontecendo e prever que a inadimplência dos títulos ruins causaria o colapso dos supostos pacotes de alta qualidade, algumas pessoas decidiram apostar contra o mercado.

Falar de mercado financeiro pode parecer complicado, mas a ideia aqui é simples: você descobre que a água vai acabar daqui um ano e decide comprar todas as reservas disponíveis. Quando a água acabar, seu investimento será recuperado diretamente. Você apostou contra um mercado e, estando certo, você recolhe os lucros.

É com essa visão de oportunismo que o mercado avança explorando a falha de outros negócios, aprendendo com os resultados negativos de outras empresas e atacando aquilo que os outros fizeram vista grossa.

É explorando essa ideia que chegamos no próximo ponto.

Desconfie do senso comum

Nossas fontes de informação tendem a girar entorno da mesma opinião, reforçando pontos comuns e ocultando falhas graves.

No filme vemos que os especialistas apontavam para o crescimento do setor imobiliário, e desconfiar do que estava sendo dito era motivo de piada. Quem vai dizer que os maiores nomes da economia mundial estão errados?

É prudente ficar de olho em indicadores de mercado, mas sempre que possível verificar por conta própria se o que está sendo dito reflete o mundo real.

É fato que tendemos a ser arrogantes com a quantidade de conhecimento que temos sobre o mundo, acreditamos que já sabemos mais do que realmente sabemos. Na psicologia este efeito é chamado de "Dunning-Kruger" e aponta essa distância entre nossa confiança no conhecimento e o que realmente sabemos.

Dunning-Kruger

Jornalistas e economistas, como no exemplo do filme, não passam longe deste efeito. Uma das maiores causas da crise de 2008 foi a confiança transmitida pelos especialistas de que tudo estava bem, quando na verdade não estava.

Equilibrando apostas para ganhar sempre

O filosofo e matemático Nassim Nicholas Taleb compilou uma série de obras voltadas para a compreensão de fenômenos como os da crise de 2008, o que o autor chama de "Cisnes Negros".

A ideia por trás do conceito é simples. Por séculos acreditou-se que todos os cisnes eram brancos, mas bastou a descoberta de um cisne negro para toda uma crença ser destruída.

A sugestão de Nassim Taleb no livro "Antifrágil: Coisas que se beneficiam com o caos" é utilizar o que ele chama de "estratégia do halter".

Para o autor, o segredo para balancear ganhos e perdas num mundo onde não temos tanta certeza assim do que está acontecendo e que eventos improváveis acontecem com frequência, é investir no seguro, mas apostar no arriscado.

Imagine que você tem uma barra de academia, dessas com pesos em ambos os lados. De um lado dessa barra você investe muito no que é seguro, mas que traz um retorno modesto. Do outro você aposta pouco, mas em algo que, se for provado verdade, o retorno é incrivelmente alto.
Type of investments
Como no exemplo do filme, no caso do mercado financeiro, é o equivalente a investir 80% em títulos seguros, que oscilam muito pouco e proporcionam uma certa garantia de retorno. Os outros 20% é a aposta apresentada no filme, acreditando que se o mercado quebrar, seu lucro é ainda mais alto.

A ideia deste modelo é criar um cenário onde os ganhos com a informação "comum" estão garantidos, mas se os especialistas estiverem errados, você lucra com a oportunidade.

Lembrando a citação de um dos maiores físicos do século XX, Richard Feynman.

"Ciência é a crença na ignorância dos especialistas"

Termos técnicos enganam os leigos

A Grande Aposta é um clássico instantâneo. Um filme de qualidade, com atores de peso, uma sólida mensagem e um desenvolvimento de roteiro impecável. Dentro de tudo o que o filme faz bem, existe um momento impar e que merece bastante atenção.

O narrador do filme explica como o mercado de valores utiliza jargões super complicados para confundir leigos e causar a impressão de que só eles podem fazer o que fazem. No filme, para solucionar o problema, eles apresentam a atriz Margot Robbie numa banheira explicando tudo em termos muito simples.

Termos técnicos fazem parte de qualquer negócio e para um gestor é importante aprender a navegar através dessa complexidade. Não se deixar coagir por termos confusos e tentar simplificar ao máximo evita o distanciamento do negócio e traz um entendimento maior do cenário.

O crescimento oculta detalhes

Quanto maior uma estrutura, mais complexo tornam-se os detalhes. No filme, podemos observar que o modelo de organização dos títulos e investimentos havia se tornado tão confusa, que ninguém mais sabia de fato o que estava sendo negociado nas transações.

O mesmo é verdadeiro para empresas e os negócios em geral. Quanto maior a estrutura, mais difícil fica entender o que acontece no dia a dia.

É por isso que ferramentas que trazem transparência ao negócio e fornecem um raio-x dos detalhes são tão importantes. Softwares como o Moskit CRM são capazes de abrir a estrutura e demonstrar pontos que não estariam visíveis sem uma análise mais completa.

Saber quanto a empresa vende, qual o lucro real, onde estão as perdas, a produtividade de cada um dos envolvidos no processo e todos os segredos dessa organização são o que fazem essas ferramentas tão importantes. O objetivo não é apenas organizar em termos de dados, mas transmitir isso em forma de qualidade para o cliente.

--

A Grande Aposta traz inúmeras lições que podem ser aproveitadas em nossos negócios, mas o recado mais importante é o de reconhecer que podemos estar errados e nos preparar para quando estes enganos acontecerem.

O filme é um grande retrato de como a ganância e arrogância de um grupo pode causar danos irreversíveis para um enorme grupo de pessoas.