O que é lean manufacturing e qual sua aplicação no dia a dia?

O que é lean manufacturing e qual sua aplicação no dia a dia?

Você já parou para pensar quais foram as primeiras pessoas a pensarem, e conseguirem colocar em prática, um processo totalmente focado na produtividade com um baixo nível de desperdício?

Há praticamente 1 século a família Toyoda, dona da Toyota, desenvolveu um método super interessante, que hoje em dias conhecemos por Lean Manufacturing.

Apesar de ser conhecida como método Toyota, essa técnica começou a ser desenvolvida quando a empresa ainda se chamava Toyada Teares.

Sakichi, o fundador e até então proprietário, criou uma máquina de tear que evitava desperdícios. Essa engenhoca pausava seu andamento sempre que algo não estava funcionando, voltando a rodar somente quando tudo estava em perfeitas condições. Sem contar que ela também possuía um mecanismo de troca automática, algo que visava muito a produtividade.

Dado o tamanho da grandiosidade que eles tinham criado, para a época, Kiichiro, filho do proprietário da empresa, viajou para os Estados Unidos para tentar licenciar a máquina e se viu fascinado pela produção automobilística que acontecia no país. Ao retornar para casa convidou alguns primos e criou o que hoje conhecemos por Toyota.

Marcas e empresas de carros existem pelo mundo todo, mas o que os diferenciou, e ainda continua sendo um dos pontos fortes da marca, é o sistema que implantaram dentro da empresa, ou seja, o lean manufacturing.

O que é lean manufacturing?

A tradução literal de lean manufacturing é manufatura enxuta. Mas o que isso quer dizer?

Essa sistema instaurado na Toyota, nada mais é do que uma forma de produzir mais, mantendo a qualidade e evitando erros, através de diversas ferramentas e técnicas.

Na prática, o lean manufacturing busca reduzir os custos de um processo, fazendo com que o valor do produto aumente. Ou seja, na busca da eliminação de custos, tudo se torna mais ágil e consequentemente a produtividade aumenta.

Apesar de ser um sistema desenvolvido com foco na produção industrial, ele pode ser facilmente aplicado em diversas áreas de uma empresa, como, por exemplo, a gestão.

Isso porque o lean manufacturing busca fortalecer ou mudar a cultura de uma empresa, propiciando que o foco seja realmente direcionado para todas as atividades, de modo que todas sejam realizadas com uma taxa baixa de erros.

A gestão se beneficia muito do lean manufacturing, pois um um dos maiores objetivos dessa técnica é fazer com que os funcionários da empresa aprendam a identificar e resolver problemas por si só, e, querendo ou não, uma boa gestão incentiva os colaboradores a se tornarem engajados.

É possível utilizar o lean manufacturing em sua empresa?

Como já visto até aqui, o lean manufacturing é um excelente sistema que pode ser adaptado de acordo com suas necessidades e demandas internas.

Mas será que existe algum meio de aplicá-lo dentro da sua empresa?

Antes de mais nada, é preciso reforçar alguns princípios básicos dessa filosofia.

Algo muito importante dentro desse sistema, são as medidas tomadas a fim de agradar e proporcionar a melhor experiência para o cliente, e não existe nada que fale tanto com o consumidor quanto o preço.

Todos os esforços são voltados para agradar o cliente.Entretanto o preço se torna um mero detalhe, quando o valor está bem claro,

Uma das estratégias dessa filosofia é a utilização do que chamam de fluxo de valor, um modo de produção em que o produto é pensado da melhor forma possível, sem deixar de agregar valor em cada detalhe.

Os fluxos são bem recorrentes nesse sistema, e um dos mais importantes é o contínuo, em que todas as atividades são organizadas para que que o seu tempo de execução sejam baixíssimas.

No entanto, se você pensa em implantar esse sistema precisa ter em mente que o lean manufacturing busca a perfeição.

Todos os esforços serão sempre voltados em melhorar o desempenho e diminuir os riscos, logo, é preciso estar preparado para evitar alguns erros.

Para que tudo isso fique bem claro na sua cabeça, conheça agora algumas técnicas e dicas para realizar a aplicação do sistema lean manufacturing:

Eliminação dos desperdícios

Todo a filosofia do lean manufacturing é pautada em evitar e/ou eliminar os desperdícios que ocorrem em qualquer processo, seja ele comercial, ou industrial.

Entre eles, existem 8 que são os mais conhecidos:

  1. Superprodução: ações sem planejamento, produção desnecessária e em alta escala etc;
  1. Defeitos: Tudo que é desperdiçado, seja por erro humano ou de máquinas, e não pode ser reutilizado.
  1. Tempo de espera: demora para realizar tarefas simples ou complexas do dia a dia, que podem ser resolvidas com organização, e resultam em desperdício de tempo e produto/serviço.
  1. Transporte: quando a distância de setores prejudica o desenvolvimento, a logística acaba sendo afetada e novamente os recursos são desperdiçados.
  1. Estoque: pedidos em excesso, falta de confiança etc; são alguns dos erros que podem acontecer nesse segmento.
  1. Excesso de processamento: etapas desnecessárias que apenas atrapalham a produtividade.
  1. Movimentação pessoal: quando os setores são muito afastados ou os colaboradores precisam se locomover para realizar suas tarefas, uma alta porcentagem de tempo é desperdiçada e o prejuízo é apenas uma das consequências.
  1. Habilidades Subutilizadas: todo funcionário possui diversas habilidades, e muitas vezes o gestor não consegue identificá-las. Ignorar isso é um desperdício para a empresa, pois todos podem contribuir para o desenvolvimento da empresa.

Kanban, Poka-Yoke e Kaizen

Dentre as diversas formas de aplicação do sistema lean manufacturing, o Kanban, Poka-Yoke e Kaizen se destacam por terem sido desenvolvidos ou aprimorados pelos criadores do sistema lean manufacturing.

Kanban: consiste na organização metodológica das atividade em etapas como a fazer, em execução e conclusão. Esse sistema pode ser bem lúdico e descritivo, tudo vai depender da necessidade e de como você distribuir as tarefas.

Homem colando um task tarefa no kaban desk quadro
Fonte: Shutterstock

Poka-Yoke: essa forma de aplicação pensa nos mínimos detalhes, isso porque, ao analisar minuciosamente, os erros conseguem ser minimizados. Geralmente aplicado no processo de montagem, o Poka-Yoke pode ser adaptado para a gestão.

Forma certa e errada de conectar um plug
Fonte: Shutterstock

Evento Kaizen: uma forma de medir as expectativas do time e se situar sobre onde a empresa está e quais são os próximos passos a serem seguidos, é reunindo todo sua equipe. O evento kaizen é uma estratégia em que todos são captados e se reúnem por alguns dias a fim de realizar uma atividade, resolver alguma dificuldade ou analisar processos e oportunidades. O objetivo é que todos façam com que as engrenagens continuem rodando.

Profissionais, empresários segurando peças que se completam em um escritório
Fonte: Shutterstock

Value Stream Mapping

Conhecido como mapeamento de cadeia de valor, essa ação baseia-se no planejamento e construção de um sistema capaz de identificar desperdícios. Esse sistema irá mapear cada etapa do processo produtivo e categorizar as atividades.

Através desse mapeamento se torna possível definir os pontos positivos da empresa.

O mapeamento é constituído pelas seguintes etapas: identificação do valor da empresa, análise, execução do fluxo de valor, reconhecimento do cliente e busca da perfeição.

Ferramentas que auxiliam na construção do Lean Manufacturing

Conhecida como os 4p's da rede Toyota, essas ferramentas representam o alicerce para esse sistema.

Filosofia: como a empresa se vê, e quais caminhos ela procura seguir, por exemplo, a missão de uma empresa.

Processo: tudo o que pode ser melhorado e aprimorado dentro da organização e criação de atividades padronizadas que ajudem a controlar melhor os recursos.

Pessoas e parceiros: quem ajuda a empresa ser o que ela é, contando com colaborador da limpeza, ou um grande parceiro, que visa o mantimento da organização.

Solução de problemas: desenvolvimento de mecanismos capazes de corrigir falhas do sistema, buscando sempre o aprendizado e interação de todos.

A real aplicação do lean manufacturing no dia a dia

Mesmo que no desenvolvimento do Lean manufacturing, o foco da família Toyoda estivesse na produção industrial, com o tempo esse sistema começou a se mostrar  interessante para processos comerciais, isto porque, uma metodologia pautada em em evitar erros e desperdícios, é eficiente e interessante para qualquer empresa.

Para você que quer utilizar essa metodologia, mas ainda não entendeu como encaixá-la no seu processo de vendas, saiba que isso é possível sim.

Por exemplo, quando se organiza o processo de vendas e deixa suas etapas bem definidas, o risco de falhas é menor. O fator humano ainda pode ser forte, mas com treinamento e capacitação, eventuais dificuldades podem ser solucionadas.

Algo que pode chegar bem perto desse sistema, é o CRM.

Com a capacidade de organizar suas tarefas e estruturar bem seus processos, o Moskit CRM pode ser um excelente começo para você que busca minimizar erros e aumentar a produtividade. Conheça o Moskit CRM e faça um teste gratuito.