O que fazer depois que errou?

O que fazer depois que errou?

Qualquer profissional, cedo ou tarde, vai cometer algum deslize durante o trabalho.

Não importa o quanto de experiência ou tempo de carreira tenha. Um dia você acorda diferente, um pouco mais cansado e com a atenção prejudicada e... boom, você errou.

A gente sabe que ninguém quer errar, e que a maioria das vezes o erro acontece por um descuido mínimo. Mas mesmo assim, não é bom que tropeços aconteçam porque sempre trazem sua parcela de prejuízo, seja financeiro ou na credibilidade do trabalho.

Mas existem formas de reduzir o impacto dos erros de acordo com nossa atitude em relação a eles. Algumas simples mudanças de postura podem fazer chefes e superiores interpretarem nossas falhas de um ponto de vista diferente.

Antes de tudo, sem "mas"

Uma das primeiras ações de quando alguém erra é tentar relativizar o acontecido para se eximar da culpa. Pelo medo de alguma forma de punição, o normal é que o comunicado de que errou venha acompanhado de um mas.

"Fui mandar um email e acabei errando o valor do produto, mas... foi só porque..."

Se você errou e faz parte do erro, assuma o erro para você. Claro que esse "mas" pode existir, mas ele raramente apaga sua responsabilidade pelo problema. Quando um gestor percebe que o profissional não assumiu a responsabilidade pelo problema, a percepção é de que está tentando tirar o corpo fora ou transferir a culpa.

Avise que errou, e seja rápido

A pior forma de saber que alguém errou é recebendo a informação de segunda mão. Quanto mais tempo demorar para informar que algo deu errado, maiores as chances dessa informação chegar ao gestor pelos comentários de outra pessoa.

Essa omissão, mesmo que temporária, inevitavelmente gera a impressão de que estão tentando esconder um problema.

Pior ainda, muitas vezes a demora em informar o problema causa ainda mais estragos e dificulta qualquer solução de contorno.

Apresente uma saída

A melhor forma de anunciar um erro é já chegar com uma solução para contornar o problema. Pode não ser a melhor alternativa, mas demonstra que você assumiu a responsabilidade, tem maturidade para lidar com problemas e reagir sob pressão.

Mais ainda, quando um problema já é apresentado com uma trilha a ser seguida, o gestor tem uma preocupação a menos e o impacto do ocorrido torna-se menos estressante.

Não exagere nas desculpas

Existem erros e erros. E é preciso não exagerar na hora de pedir desculpas. Se você apenas errou uma vírgula num email, não é motivo para entrar na sala do gestor e chorar pedindo desculpas.

Saiba dar o tom certo da desculpa, se posicionar em relação ao erro, mas sem exagerar na reação. Caso contrário, a impressão de que está tentando se fazer de vítima para fugir de uma alguma bronca fica evidente.

Na hora de contar que errou, o mais importante é reforçar a postura profissional e demonstrar que existe controle emocional e que está disposto a reverter a situação. Tentativas de jogar com a emoção são fáceis de perceber e denunciam irresponsabilidade e falta de profissionalismo.

Explique como você evitará uma próxima vez

Para fechar um bom pedido de desculpas da maneira certa, é importante não apenas dizer que o erro não vai se repetir novamente, mas como você pretende agir para que não ocorra.

Não é necessário nenhuma descrição detalhada, mas reforçar os passos que irão evitar falhas futuras demonstram que você aprendeu com o erro. Essa é a principal mensagem.

No fim uma boa forma de abordar seu gestor e informar que errou sería parecida com o exemplo abaixo:

"Preciso informar que cometi um erro. Por distração minha acabei perdendo o prazo com um cliente. Sei que isso pode custar o negócio, mas prometo que não vai acontecer novamente. Estou tentando ligar para ele e fazer um novo agendamento para passar por cima deste incidente. Eu também vou deixar atividades agendadas no CRM para que o sistema me avise com antecedência, não vou mais esquecer."

Por mais sério que o problema seja, a abordagem certa na hora de contar que errou pode mudar bastante o desfecho da história para quem cometeu o engano.

Claro que existem situações onde o dano é irreversível e a empresa pode optar por desligar o culpado. Mas ao tratar tudo com profissionalismo, as chances de passar por cima do problema e mostrar que aprendeu são grandes.

A melhor forma de garantir que erros serão reduzidos e que tudo será revertido em aprendizado é utilizando um CRM, a ferramenta ideal para lembretes de compromissos, agendamentos de atividades e relatos de tudo o que aconteceu anteriormente. Para conhecer melhor, faça um teste agora mesmo no Moskit.