A louca responsabilidade de ser um gestor jovem

A louca responsabilidade de ser um gestor jovem

Um dos meus amigos tem apenas 25 anos. Hoje, ele ocupa o cargo de diretor de tecnologia em uma empresa na área de alimentos. Ele é responsável por uma equipe de 20 pessoas, além de ter que coordenar uma operação de segurança digital de uma empresa bem consolidada.

Em uma conversa franca com ele, me disse que embora seja um desafio emocionante, ele enfrenta muita dificuldade para fazer uma gestão concreta.

Este é um cenário cada vez mais comum o nas empresas. Jovens profissionais tem se tornado gestores cada vez mais cedo. É claro que isso apresenta um impacto real na nova maneira de fazer gestão de empresas e pessoas.

O que os novos gestores precisam saber?

Talvez com um mercado de trabalho mais capacitado, com uma abertura economica em crescimento e com o mercado promovendo internamente seus jovens colaboradores,este fenômeno faz com que cause um efeito positivo na hora de preencher vagas sênior de maneira mais rápida, oferecer condições e movimentações concretas dentro de um plano de carreira promissora para seus funcionários e reter boa parte da mão de obra de maneira mais motivada.

Agora, há também problemas. Este é um processo que precisa ser feito com muita cautela para não gerar pessoas imaturas na posição de liderança. E isso é mais comum do que parece.

A escala, frequência e velocidade com que profissionais tornam-se gerentes, diretores e presidentes de empresas requer alguns cuidados importantes. Os cargos de gestão não podem correr o risco de sofrer com o resultado negativo de uma inexperiência.

Ao mesmo tempo que é uma gestão juvenil pode ser altamente capacitada e treinada, é também mais exposta a erros simples e precisa policiar-se quanto ao aprendizado frente a mudança veloz de mercados.

Há maneiras possíveis de aprender a ser um gestor com mais resultados baseados no que realmente importa para a empresa, para o cliente e para as pessoas.

O que as empresas precisam saber?

Empresas que optam por este caminho precisam ter a disposição de pagar um preço alto para conviver e remediar falhas. Da mesma maneira com que a cobrança é uma realidade cada vez familiar nos gestores jovens, é preciso entender que há uma curva de maturação natural.

A habilidade de ser gestor não se pode garantir por meio de currículo ou de certificados, há uma parcela de aprendizado que está exclusivamente na prática diária. Os funcionários recém-promovidos podem desenvolver suas habilidades aprendidas, mas somente num ambiente real e vivo.

Muitos profissionais hoje têm uma ascensão acelerada e é óbvio que isso tem consequências. A cadeira de gestor é a mais cobiçada, mas é a mais suscetível a erros e cobranças.

É preciso garantir que o gestor esteja maduro para errar e continuar aprendendo sem comprometer a dimensão da empresa que é responsável. Este é o grande desafio, na verdade.

É preciso olhar para gente

Acredito que um dos grande problema dos novos líderes é a dificuldade para comunicar-se com pessoas e ligar-se com elas efetivamente. Na ânsia de “mostrar serviço” é natural que haja algumas impopularidades. No entanto, nem todo mundo sabe lidar com isso.

Por um lado, há muita frouxidão por não gostar de ser visto como um carrasco, mas por outro, há uma severidade nas atitudes para mostrar uma energia desnecessária. O mais importante é aprender a perceber como as pessoas precisam ser tratadas.

Mais importante que gerir na pressão é aprender a colocar o risco certo nas mãos certas. Gerir pessoas é mais que resolver conflitos e aprender a olhar para o lado, ouvir o que dizem, entender o que pensam e ser o mais assertivo na comunicação.

Respeito e educação costumam ser uma chave-mestra para comandar pessoas. Esqueça os cursos de gestão de pessoas e lembre do que sua mãe sempre disse: Lidar com pessoas e ser empáticos com elas é a coisa muito importantes de um gestor.

Não olhe para o título, mas para a tarefa

Acredito que um dos erros de quem assume uma nova posição é focar apenas no status e no salário sem antes avaliar quais são suas responsabilidades e suas tarefas mais comuns.

Quem assume a ponta de uma operação apenas como quem consulta uma conta bancária ou ostenta seu título no Linkedin tende a cometer grandes erros.

Todo líder tem que acostumar-se a traçar planos de longo prazo para sua carreira e para sua presença nas empresas, e acredite, você só vai longe quando tem a plena convicção de que não pode apoiar-se na sua posição ou no saldo disponível para saque para crescer e ser reconhecido como um excelente profissional.

Quem olha para o título tende a centralizar as atividades ao invés de resolver problemas, tenda a entregar resultados do quais ele próprio teve pouca participação e automaticamente comunicará para sua equipe que não é digno dos lucros.

Outro erro comum desse tipo de de abordagem é deixar de fazer metas importantes apenas porque alcançou um lugar de destaque. Seja um gestor com objetivos claros e faça questão de atingir a sua posição da melhor maneira possível, deixe sua equipe participar de parte das decisões e os consulte para avaliar o que ainda é preciso desenvolver ainda.

Não esqueça de comunicar-se

Todos os problemas de uma empresa começam na comunicação. Certifique-se sempre que todos estejam entendendo tudo o que está em sua mente.

Muita gente que assume um posto de destaque tem receio de contar seus planos para sua equipe. Traduza sempre para sua equipe a estratégia da empresa. Assim, você evita problemas de desempenho.

Aprenda a gastar mais energia comunicando-se de maneira efetiva do que tentando remendar informações posteriormente. Seja o mais transparente possível.

Ouça de verdade. Dê abertura para que as pessoas possam dizer e expressar o que precisam. Abra canais legítimos de comunicação com todos os processos que envolvem suas responsabilidades. Garanta com que haja comunicação em todos os passos de um processo.

Se algo está fora do lugar na sua gestão, faça questão de alinhar tudo da melhor maneira possível, mas nao deixe de acompanhar sua equipe para saber exatamente como pode ajudá-la. Você só se torna um bom gestor sendo capaz de fazer sua equipe conhece-lo e também esforçar-se em conhece-los mais e mais.

Experimente aprender mais sobre seu processo, sobre sua equipe e sobre seus clientes.