E-mail marketing: como fazer?

E-mail marketing: como fazer?

Todos os dias eu chego no escritório de manhã, abro minha caixa de e-mail e encontro pelo menos cinco ou seis newsletter enviadas por empresas que eu sou cliente, parceira ou que em algum momento me inscrevi para receber informações. Claro que também existem os famosos spams, que a gente fica se perguntando como aquela pessoa conseguiu nosso e-mail. Mas, continuando…

Geralmente a primeira coisa que eu faço é ler o título: se for muito sensacionalista eu abro para constatar que era um título sensacionalista e que em nada me agregou.

Mas eu costumo abrir os que trazem uma chamada que realmente me interessa e por isso acabo lendo o conteúdo e clicando em algum link ali dentro.

Além de ser uma típica leitora de newsletters, eu também sou a responsável pelo envio de nossos e-mails e conteúdos para a base do Moskit (eu sou a Isadora dos e-mails às quartas-feiras!) e por isso já tenho uma bagagem para entender o que funciona ou não em uma estratégia de e-mail marketing e vim compartilhar.

1 Separe um conteúdo realmente interessante

O que eu mais tenho visto são empresas e profissionais que acham que o importante é ser visto e lembrado, por isso enviam uma série de e-mails para sua base, às vezes com um conteúdo extremamente superficial ou forçado. Eu particularmente costumo me desinscrever deste tipo de e-mail.

Por isso, se você quer enviar um texto do seu blog, um artigo ou uma dica relacionada ao seu mercado, coloque-se no lugar do destinatário: isso vai acrescentar algo? Receber um e-mail fraco todos os dias vale a pena?

Dica: Prefira qualidade à quantidade. É melhor fazer um compilado de conteúdos semanais com os melhores posts do seu blog do que enviar todos os dias um e-mail com o novo conteúdo. Quanto mais você enviar e-mail para sua base, maior a chance de ser marcado como Spam e você não quer isso.

2 Trabalhe segmentações

No começo do meu trabalho com marketing digital eu estudei muito sobre a importância de segmentar a base de contatos.

Podemos cair no erro de achar que todos nossos contatos se interessam pelas mesmas coisas, mas é fundamental ter sua base separada e enviar os conteúdos direcionados. Claro que você pode enviar informações e novidades sobre seu produto para uma base geral, quando pensamos em um e-mail marketing mais direcionado, essa ação não faz sentido.

Dica: Segmente por fase do funil, interesse ou persona.

3 Faça testes A/B

Teste A/B não é uma novidade no marketing. Na verdade já é algo usado há muitos anos mas que ficou mais fácil de ser feito com as novas tecnologias no marketing digital.

Os testes A/B são aqueles em que você coloca variáveis e observa qual o melhor resultado, para depois definir o que será de fato permanente. Nos e-mails você pode testes subject, remetente e até mesmo conteúdo.

Normalmente colocamos duas variáveis, um prazo mínimo de 4 horas e enviamos para, por exemplo, 30% da nossa lista selecionada. O que converter melhor será disparado para os 70% restante.

Dica: Comece com testes de título e remetente. Veja o que tem maior aceitação por parte do seu público.

4 Conte com a ferramenta certa

Já pensou enviar todo seu e-mail marketing saindo da caixa de envio normal? Não dá, né?

Para conseguir uma boa performance em seus envios e uma otimização desse trabalho, existem algumas ferramentas disponíveis no mercado. Você com certeza se encaixa em alguma delas.

RD Station O software de automação de marketing brasileiro é muito mais do que uma ferramenta de e-mail marketing, mas conta com essa funcionalidade. Você pode enviar campanhas de e-mail individuais ou configurar automações, o que é excelente para uma estratégia de marketing digital.

MailChimp: Especializado em e-mail marketing, o MailChimp não é brasileiro, mas atende diversas empresas por aqui. Oferece templates, testes A/B e relatórios. Tem uma versão gratuita limitada, mas que vale a pena para quem quer começar a enviar e-mail marketing.

Dica: Faça teste grátis das duas ferramentas e veja qual se encaixa melhor em sua estratégia!

Optando por uma dessas ferramentas você terá como definir suas campanhas de envio, criar listas com as características que citamos, ter relatórios com taxas de abertura, de cliques em links e de descadastro em suas campanhas. Isso te ajuda a mudar o que se faz necessário e otimizar cada vez mais os envios.

Ficou com alguma dúvida ou tem outra sugestão? Deixe para gente nos comentários!