<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=230488125300927&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Aprenda a aumentar a qualidade do seu CRM

Talita Bernardes

por Talita Bernardes

Cada vez mais as empresas estão entendendo as vantagens de organizar suas vendas e adotar um CRM, ferramenta extremamente poderosa capaz de acelerar o processo, economizar custos e melhorar o armazenamento de dados.

Mas se engana quem pensa que basta apenas adotar um CRM para que tudo se encaminhe para o sucesso. A verdade é que saber usufruir do CRM e utilizá-lo da melhor forma possível conta muito para os resultados finais.

A falta de qualidade dos dados que você insere na sua ferramenta de CRM pode ser um dos fatores que está contribuindo para a baixa de resultado e, consequentemente, queda de vendas.

Quer saber como melhorar a qualidade de seu CRM? Preparamos um post com dicas e informações valiosas para você.

Qualidade de dados do CRM: o que é e seus benefícios 

A qualidade dos dados do seu CRM nada mais é do que a adequação de informação inserida na sua ferramenta. Isso porque um conjunto de dados pode ser perfeitamente adequado para um propósito, mas não para outro.

Por exemplo, durante o contato com o cliente nem tudo o que ele fala precisa ser registrado na ferramenta, já que somente certas informações fazem a diferença e realmente podem contribuir para qualificá-los ou não.

Em ferramentas como o CRM, que depende dos dados que são inseridos pelos usuários, a qualidade é quem dita o ritmo e a precisão em que os processos vão se desenrolar.

Manter uma base de dados atualizados e ter o cuidado de inseri-los corretamente é extremamente vantajoso, uma vez que a baixa qualidade pode ser extremamente prejudicial.

A qualidade baixa de dados pode prejudicar na aquisição de novos clientes visto que ao não ter as informações corretas registradas os vendedores se tornam mais propensos a cometerem erros e colocarem a perder negociações importantes.

Sem contar que uma baixa qualidade de dados prejudica relatórios e análises de vendas.

7 dicas para medir a qualidade de seus dados

1 - Dados completos

Seus dados estão completos ou existem grandes lacunas sem preencher? Existe, por exemplo, informações ausentes sobre canais de contato com o cliente, nome e motivo inicial do contato? Se a resposta for sim, sinto em dizer que você está com grandes problemas.

Os dados incompletos são um dos maiores problemas para qualquer organização, visto que sem dados é impossível prestar um serviço de qualidade.

2 - Singularidade

Todos os dados podem ser interpretados com clareza?

Da mesma forma que não adianta não ter dados, os dados em excesso e desnecessários podem atrapalhar a compreensão e, consequentemente, afetar a qualidade.

 3 - Correção

Além de dados incompletos, a falta de coesão dos dados é outro ponto crucial para a qualidade.

Ter os dados completos, mas incorretos, faz com que a qualidade caia, logo é importante revisar todos os dados após inseri-los na ferramenta.

4 - Precisão

A precisão faz toda a diferença, principalmente quando se precisa fazer análise de uma grande base de dados.

Claro que nem tudo precisa de 100% de precisão, mas o ideal é tratar isso como uma regra, caso contrário, você pode correr o risco de inflar desnecessariamente seus volumes de dados.

5 - Relevância

Use apenas os dados relevantes. 

Como já antecipamos anteriormente, nem todos os dados que os clientes revelam durante os contatos precisam ser registrados, uma vez que nem sempre dados e fatos pessoais, por exemplo, são relevantes.

6 - Uniformidade

Dados de qualidade também precisam ser uniformes, isto é, semelhantes entre si.

Quando for registrar nome e sobrenome, por exemplo, é interessante utilizar maiúsculas e seguir o padrão ortográfico, dessa maneira os dados se tornam organizados e uniformes.

A bagunça, nesse aspecto, pode até não atrapalhar, mas sem dúvidas fica visualmente poluído.

7 - Confiabilidade

Você deve ser capaz de entender de quais fontes seus dados vieram e se eles são confiáveis. Por exemplo, dados de aplicativos e programas integrados.

No caso de dados de interfaces internas, você deve verificar regularmente se estão totalmente funcionais.

Como evitar erros no seu CRM?

Apesar de todos os esforços, é quase impossível manter e atingir 100% de excelência. 

Isso porque o fator humano precisa ser considerado, e por mais que focamos e nos esforçamos em dar nosso máximo, erros podem acontecer, e isso é normal.

Se você está realmente ciente disso e toma as medidas apropriadas, pode confiar que a qualidade dos seus dados no CRM serão suficientes para cumprir com o propósito para o qual ele está sendo utilizado. 

Para isso você deve definir quais dados serão utilizados, e mais importante ainda, qual CRM você utilizará.

Caso você esteja em dúvida e não saiba qual CRM escolher, o Moskit pode ser uma excelente opção, ainda mais por ser todo pensado para se adaptar às demandas dos usuários e clientes. Faça agora mesmo o seu teste gratuito no Moskit. 

Compartilhe esse publicação

Compartilhar no twitter Twitter Compartilhar no facebook Facebook Compartilhar no Whatsapp Whatsapp
Também em Blog Moskit