Quanto ganha um representante de vendas?

Quanto ganha um representante de vendas?

Quando falamos em vendas aqui no blog do Moskit, imagino que muita gente tenha em mente o vendedor tradicional, que trabalha para uma única empresa, é registrado e ganha uma comissão em cima do total de vendas no mês além de um salário fixo.

Mas, existe outra forma de trabalhar com vendas muito comum e que traz algumas dúvidas quando falamos em comissionamento. Sempre surge a pergunta: quanto ganha um representante de vendas?

Como em toda profissão, a resposta para essa pergunta varia muito. Diversos pontos estão envolvidos para definirmos um valor, mas é possível entender o que influencia para esse total e é sobre isso que vamos falar hoje.

Área de atuação

O primeiro ponto e que é extremamente importante para entender quanto um representante comercial pode ganhar é sua área de atuação.

Qual produto ele está representando? Qual a concorrência que encontra no mercado?

Sabemos que assim com um vendedor exclusivo de uma empresa, o representante passa por bons meses e por períodos de escassez. No entanto, as áreas que costumam trazer um resultado mais expressivo são, segundo a Central dos Representantes:

  • Alimentos e bebidas
  • Maquinários e veículos
  • Construção civil
  • Equipamentos
  • Tecnologia

Não é difícil entendermos o porquê dessas categorias aparecerem por aqui. Se pensarmos bem, são setores que sofrem pouca queda com as dificuldades econômicas pois são de itens necessários no dia a dia.

Por isso, a necessidade do produto e a demanda são muito relevantes para quanto o profissional vai receber no fim do mês.

Região em que atua

Outro “detalhe” que não pode ser esquecido é avaliar em qual região o profissional está atuando com sua representação.

Se sua representada é de construção civil, por exemplo, com certeza seu faturamento será maior se você estiver em uma região que existem muitos depósitos ou casas de materiais de construção.

Além disso, a região também é determinante pois diferente dos vendedores de lojas físicas, quanto maior for a área que o profissional atende (mais cidades, mais estados, etc), maior são os ganhos e não são todos representantes que podem atender diversas localidades.

Tempo de mercado

O tempo em que o representante atua naquele mercado é fundamental para ter uma base do quanto é possível ganhar.

Pense em uma loja de bebidas que recebe toda semana os produtos do mesmo fornecedor há 10 anos.

Se um novo fornecedor entrar no ramo e oferecer uma parceria, quais as chances de que esse lojista mude do certo para o incerto?

É por isso que vemos muitos representantes que trabalha há muitos anos com uma carteira de clientes relativamente pequena, porém fiel. Então não depende apenas do produto que vende, pois dois representantes podem ter rendimentos completamente diferentes atuando com a mesma mercadoria.

Salário x Comissionamento

Uma das maiores dúvidas é se o representante recebe um salário fixo mais comissionamento, apenas salário fixo ou apenas comissão.

Não existe uma única forma de remuneração. Isso depende do acordo e da forma de trabalho que consta em contrato de representação.

As formas mais comuns são:

Salário base + Comissão: Esse modelo segue o que vemos em alguns lugares em que o vendedor tem um salário fixo e comissão em cima do total das vendas, independente de quanto foi vendido.

Garantia + Comissão:  Essa forma de comissionamento é diferente porque não trata-se de um salário fixo e sim de uma garantia.

Ou seja, se o representante não atingir a meta do mês, ele receberá aquela garantia e não o comissionamento. Caso atinja essa meta, aí receberá somente a comissão.

*Apenas comissão: *Outros lugares preferem adotar a política de remunerar apenas com comissão e não oferecer nada fixo ou como garantia.

Gastos

Ao pensar na remuneração de um representante, muita gente pensa que é um valor altíssimo e que é muito fácil ficar rico nessa profissão.

Podem existir modelos de representações que têm um retorno excelente, mas não são uma verdade absoluta.

É preciso pensar também que todos os custos de trabalho ficam por conta do próprio profissional: gasolina, viagens, alimentação, etc. Além disso, na maioria das vezes não existe vínculo trabalhista e por isso também não é possível contar com direitos como férias, décimo terceiro e FGTS.

É importante pontuar isso porque no fim do mês, é preciso fazer uma simples conta com o dinheiro que entrou e o que foi gasto para saber o que realmente foi ganho.

Se você é representante de vendas, já trabalhou na área ou conhece bem a profissão comente aqui sobre suas experiências ou opiniões sobre o assunto!