Como contratar e promover os profissionais corretos

Como contratar e promover os profissionais corretos

Seu funcionário tem muitos anos de experiência, provavelmente já investiu muita energia, suor e talvez até lágrima em um negócio, e agora, ele espera uma oportunidade de reconhecimento. Talvez ele tenha almejado tudo isso apenas para alcançar um posto desejado.

As grandes perguntas são: Será que ele está pronto para isso? Será que apenas realizar um bom trabalho no mundo dos negócios é uma das razões que capacitam profissionais para serem gestores?

No mundo da boa gestão o passado apenas revela competências, mas não garante um futuro de lideranças de sucesso.

Um bom gestor age e não vive de vontade de fazer mais

De um lado, existem alguns indícios claros de que alguém pode estar despontando para uma liderança, mas tomar decisões certas é enfrentar um outro mito diante desse desafio: Acreditar que líderes bons vem prontos.

Embora pareça que não pense isso, você pode estar em busca de um funcionário que atualmente não tenha como investir tempo, paciência e recursos para lidar com os novos desafios. Por isso, precisa de uma pessoa ativa.

Não existe uma espécie de prova concreta tanto para um funcionário provar a seus chefes que é “o caras da vez”, como também não se pode garantir ao chefe que não haverá erros grotescos durante o aprendizado. O medo é dos dois lado.

O gestor tem que estar preparado para cumprir mais do que sua descrição do trabalho básico, para cuidar de problemas de pessoas e além disso ser capaz de ter na palma da mão todos os dados estratégicos e analíticos de uma operação.

Nunca há garantias de sucesso ao promover alguém, mas é possível ter ciência de um caminho possível e mais preciso que apontam determinados indicadores.

O candidato é um resolvedor de problemas?

Não trata-se apenas de pró atividade, mas sim de resolução eficiente de problemas. Não haverá nenhum dia na vida do gestor que não terá que tomar decisões ou criar ideias novas para solucionar coisas.

Muitas vezes, na posição de líder não se pode esperar para saber o que fazer. É um jogo que muitas vezes não tem como treinar antes. A grande marca de um perfil de gestor é ser capaz de pensar estrategicamente sobre o que precisa ser feito, e mais ser capaz de executar.

Quem da sua equipe tende a se deparar com um desafio e tomar aquilo para si? Um bom solucionador de problemas pode até aprender a gerir pessoas de maneiras mais eficiente se ele não tiver inicialmente esta afinidade. Procure pessoas que sempre te dizem como consertar situações.

Quando apresentamos soluções mais reais e possíveis frente ao problema, deixamos a marca de que nossa iniciativa resulta em dedicação e sucesso da empresa. Você pode treinar boas pessoas para lidar com papéis, mas essa característica é diferencial sem dúvida.

O candidato assume as broncas?

Desenvolver pequenas formas de gerenciar pessoas ou projetos até que é aprendível, o que não se pode conseguir forçar com quesão pessoas com características de tomar a frente das coisas.

Construir uma habilidade de gerenciamento passa anteriormente por assumir riscos. Sempre existe aquela pessoa que tende a ser naturalmente um líder dentro de equipe. Óbvio que apenas ter o poder de influenciar não transforma necessariamente alguém em um grande gestor.

Por isso, abra oportunidades para aqueles que sabem lidar melhor com as responsabilidades.

Aos poucos delegue tarefas de nível gerenciais simples para entender como essa pessoas funciona sob pressão, faça ela treinar novos contratados, conduzir pequenas reuniões ou até supervisionar pequenos índices, Procure pessoas não só que estejam a fim de provar suas habilidades de liderança, mas que naturalmente tende a ajudar, a planejar e a ter o comprometimento com coisas distintas suas qualidades já conhecidas.

Não estamos falando de sobrecarregar funcionários para testar seus limites, mas sim de entender o quanto você pode ajudá-lo a lidar com essa pressão e torná-lo um gestor suficientemente bom.

O candidato realmente conhece boa parte da empresa?

Qualquer um que queria assumir um processo de liderança precisa entender a sinergia que ele pode desenvolver com os demais pontos da empresa. O olhar mais amplo da empresa e estar diante das informações corretas transformará uma gestão mais eficiente.

Para que possa desenvolver qualquer estratégia a fim de impulsionar um departamento, é preciso aprender a lidar com todas as partes importantes de uma empresa desde o relacionamento com as pessoas até o conhecimento mínimo de processos.

Na realidade, se você encontrar uma perfil que esteja realmente interessado em aprender o máximo possível sobre o negócio como um todo, já é possível imaginar que é uma boa escolha para ocupar uma posição de liderança.

Busque um perfil que esteja interessado em desenvolver a visão de mercado, esteja comprometido a analisar metas atuais do negócio e atingir outros desafios mais audaciosos.

Tenha em mente que um bom cara para ocupar a referência de um setor tem que conhecer as informações mais recentes, precisa aprofundar no conhecimento das operações, saber organizar estratégias e emplacar desafios inovadores na empresa.

O candidato sabe como, onde e porque aprender é necessário?

Eu sei, não é simples encontrar perfis ideias e eliminar candidatos inadequados. O mais importante de tudo é lidar com o aprendizado contínuo. Uma pessoa que não tenha medo de assumir novas medidas depois de um conhecimento novo.

Procure alguém que esteja disposto a aperfeiçoar os processos, conhecer mais do mercado, saber tirar proveito do seu time e melhorar suas dificuldades intangíveis.

Se você deseja aprender sobre seu negócio com responsabilidade, ter uma educação progressiva sobre seu mercado, e aprender como solucionar problemas de gestão, procure por pessoas que façam sempre um acompanhamento a fim de crescer em expertise, em rendimento e em maturidade tecnológica.

Ser um bom gestor é contratar pessoas de maneira humana utilizando a inteligência comercial. Faça parte desse grupo de gestores que sabem exatamente como agir.