3 observações necessárias para se tornar um gestor de respeito

3 observações necessárias para se tornar um gestor de respeito

Fazer uma boa gestão é o elemento-base para que se tenha sucesso dentro das organizações. Isso não é novidade. Uma boa gestão não só reflete na rentabilidade, no lucro e na maneira com que se conquista mercado, mas também em encontrar modelos eficientes para redução de custos e otimização de pessoal.

Além disso, existem muitos outros elementos que podem influenciar diretamente na maneira de fazer uma gestão mais competente. Os objetivos só podem ser alcançados se os responsáveis pela gestão não se atentarem apenas aquilo que naturalmente são cobrados, mas que tenham a capacidade de manter as informações das diversas áreas da empresa integradas.

Quanto maior for a conexão, comunicação e empatia entre gestores e funcionários, acabamos por diminuir medidas que saiam do controle ou que possa ter que acarretar em uma situação de gestão de improvisos, o que normalmente, atrapalha todos os processos e planejamentos.

Ser gestor é administrar os recursos disponíveis de modo que possa proporcionar e alcance objetivos internos de uma empresa e os externos de clientes. A fórmula dita assim, parece simples, mas é preciso olhar para mais lados.

Ser gestor hoje é mais complexo que ontem. É claro que com a busca crescente pelos produtos e serviços que sejam inovadores e tecnológicos, mudou-se a maneira de lidar com a gestão desde a produção até a atendimento final. A forma de gestão está em constante evolução porque perpassa por algumas etapas fundamentais.

Não tire o foco do produto

Isso quer dizer que embora seja capaz de contratar os melhores profissionais de vendas, e tenha uma equipe incrível de atendimento, e sucesso do cliente, o foco principal precisa estar no desenvolvimento do produto.

Embora possa parecer óbvio, muitas empresas ficam tão preocupadas em montar times sensacionais de vendas, mas não tem um esforço para entender o que está faltando em seu produto.

Todo esforço direcionado ao produto precisa ser primordial. Não há como vender produto meia-boca. A qualidade é um dos argumentos de vendas mais poderosos.
É preciso que os gestores se reúnem com certa frequência para que possam apresentar uns aos outros as suas dificuldades e representar melhorias que possam ser sugeridos por times diversos.

Muitas empresas levam isso tão a sério que designam profissionais específicos com a responsabilidade pelo controle de qualidade. É claro que, com isto, o aumento de qualidade e o índice de inovação na produção será significativo.

Empresas que crescem, normalmente, têm gestores que segue este modelo. Para enfrentar a competitividade, não se pode perder a oportunidade de revisar e melhorar processos. Não adianta descartar o que não funciona sem ao menos pensar sobre o motivo que pode ter ocasionado falhas.

Gestores comprometidos com a inovação, com a evolução e com o aprendizado constante sabem que precisa aperfeiçoar o tempo todo.

Nunca tire o olho do processo

Um dos principais motivos para um ter um gestor é justamente para que se tenha um constante foco nos processos. O crescimento da produção é um dos alvos que faz com que a figura do gestor seja uma das mais centrais de qualquer organização.

Mas é claro que não se pode limitar o trabalho do gestor apenas como alguém que é responsável por pesquisar, eleger, coordenar e controlar método de qualidade.

O gestor de alta performance e aquele responsável principalmente por estudar novas maneiras e eficientes modos de detectar as falhas e chegar assim às possíveis causas e soluções para aumentar produtividade e rendimento de um processo.

O objetivo nem sempre é apenas visar reduzir e até mesmo eliminar custos, mas trazer maturidade e foco naquilo que realmente é importante dentro de uma equipe comercial.

Encontrar um método é apenas um dos grandes passos para uma gestão altamente eficiente. É ele quem precisa entender detalhes e conseguir ter uma boa visão do que realmente estava acontecendo dentro das equipes.

Confie mais no inteligência dos sistemas

Já é óbvio que não se faz gestão somente com caneta e papel. Os recursos tecnológicos de gestão são sem dúvida aliados poderosos para analisar, ponderar e tomar medidas mais precisas e rápidas.

Não se vende mais sem uma ferramenta de relacionamento com o cliente. Apesar de nem todo gestor ter essa dimensão, ter uma ferramenta que pode adaptar-se a realidade mais comum de um mercado e de uma necessidade fundamental de uma organização é não só um diferencial competitivo, mas é um jeito muito mais profissional de lidar com vendas.

Para que se possa solucionar problemas convencionais de produtos, de atendimento, de organização, de gestão afinada e de clareza na estratégia é preciso confiar em recursos tecnológicos.

O gestor que tem compromisso com a qualidade da sua gestão não consegue recorrer a sistemas que não cabem na sua realidade mais essencial . É preciso um CRM que seja capaz de te entregar exatamente o que precisa. Sem enrolação.

Ser um gestor dentro de uma empresa que busca estratégias para manter seus clientes mais próximos e conhecer mais cada um dele, exige uma inteligência comercial focada na constante melhoria na qualidade dos produtos, dos serviços, do atendimento e da condição de competitividade no mercado.

Garante o aumento da qualidade da sua gestão do início do processo de vendas até o tratamento com o cliente final. Tenha um bom produto, olhe se processo, mas faça questão de ter um sistema que colabore com tudo isso de verdade.