Neuromarketing: o que é e como utilizar como método de vendas?

Neuromarketing: o que é e como utilizar como método de vendas?


Você já se perguntou o que leva seus clientes a consumirem seu produto/serviço? Se a resposta for não, acho melhor você começar a repensar sua estratégia.

O momento da tomada de decisão diz muito mais sobre o comportamento do seu consumidor do que você pode imaginar. Existem diversos fatores que levam uma pessoa a consumir algo, e descobrir isso pode ter uma vantagem enorme.

Não é segredo que toda negociação gera dados, mas as vezes é preciso se afastar um pouco dos gráficos e analisar o personagem principal de qualquer venda, o cliente.

E o neuromarketing pode te ajudar com isso.

O que é Neuromarketing?

Quando pensou pela primeira vez sobre o impulso que levava o consumidor a realizar uma compra, Ale Smidts – professor e pesquisador britânico – tinha como objetivo entender qual a real influência das nossas funções neurológicas nessa tomada de decisão.

Mas, não foi até Gerald Zaltman, que o termo Neuromarketing, tomou forma e ganhou uma teoria.

Fruto da junção de neurociência e marketing, o Neuromarketing é um pouco mais complexo do que sua terminologia.

O cérebro é o órgão mais complexo do corpo humano, algumas áreas do conhecimento, como a neurociência, investem seus recursos para desvendar e compreender como ele realmente funciona.

Acredite, ou não, mas a neurociência é uma grande aliada do campo comercial, já que ao estudar a mente humana ela consegue identificar impulsos que são essenciais para realizar uma venda, ou causar a sensação de necessidade de um produto/venda.

Ainda não acredita?

Durante as pesquisas sobre a influência das ações de marketing na parte neuroativa do nosso cérebro, foi identificado que a tomada de decisão a partir das ações não acontece de forma racional. Isso porque, como diversas outros pensamentos, esse também começa no nosso inconsciente.

Uma curiosidade importante de se ressaltar, é que a mente humana se assemelha a um iceberg, dessa forma, o que conseguimos ter acesso e revisitar se resume a menos de 10%. O resto está submerso, mas nem por isso deixa de ser um elemento importante na tomada de decisão.

Resumidamente, o neuromarketing busca mapear e estudar o cérebro humano e  se utiliza do marketing para acionar algumas emoções. Com base nessas reações, as estratégias podem ser criadas.

Como funciona o Neuromarketing?

Apesar de na teoria tudo parecer muito complicado, na prática o neuromarketing é um pouco mais fácil.

Exemplo disso é o grande número de empresas que já aderiram a essa estratégia, como o Boticário.

Em um teste encomendado pela Forebrain, o Boticário reuniu um grupo de consumidores que conhece sua marca, e que é emocionalmente ligado a ela para testar algumas "novidades".

Para esse teste foram utilizados dois produtos, sendo eles um dos best sellers da marca e uma versão 2.0 do mesmo que teve sua fragrância, textura e embalagem alteradas

O teste foi realizado com a versão 2.0 sem marca alguma, enquanto a outra continha todas as informações.

Os resultados foram surpreendentes: muitos clientes não conseguiram se identificar nem se sentiram satisfeitos com a versão do produto sem marca, mas quando viram e reconheceram o produto com marca, suas emoções e até mesmo o desejo para avaliar e ser criteriosos com ele aumentou absurdamente.

Esse teste, assim como vários outros que são realizados utilizando Neuromarketing, conseguem levantar informações importantes sobre os consumidores de uma marca.

No caso do Boticário, é claro, o apego emocional falou mais alto, deixando bem claro o quanto a embalagem, textura e fragrância se mostram importantes para o consumidor.

Outro caso que vale mencionar é da Renault, que consegue trabalhar e fixar ideias na mente do consumidor através de propagandas que mexem com o emocional. Tanto que sua campanha com a participação da apresentadora Xuxa foi a mais lembrada de 2017.

Como utilizar o Neuromarketing como método de vendas?

Você não precisa realizar testes ou pesquisas para começar a utilizar o Neuromarketing na sua empresa.

Algumas medidas simples fazem toda a diferença e podem ser facilmente adaptadas na rotina.

Aprenda agora 4 dicas para aplicar o neuromarketing em sua empresa:

1 - Invista em imagens

Um texto não deixa de ser uma ótima opção – quando bem trabalhado – mas nada se compara a imagens.

Por conta de suas cores e por tornar a experiência mais lúdica, as imagens conseguem comunicar a sua mensagem de forma bem mais rápida, sem contar que muito pode ser dito com uma simples foto.

Tente sempre captar e divulgar emoções positivas como felicidade e amor, caso contrário a estratégia não se sairá tão bem assim.

2 - Storytelling

Apesar de imagens serem mais significativas, uma história nunca deixa de ser uma forma de conquistar o consumidor e fixar uma ideia.

O storytelling é uma ótima forma de aplicar o neuromarketing, já que durante a sua construção é crucial que emoções sejam passadas para o cliente.

3 - Gatilhos Mentais

Nós aqui do Moskit CRM adoramos essa estratégia!

Trabalhando a fundo com as emoções dos consumidores, os gatilhos mentais são ferramentas capazes de acelerar qualquer negociação por despertarem uma necessidade de consumo.

4 - Simplificação do preço

Acredite, ou não, mas uma das técnica de neuromarketing está ligada na forma que o preço é escrito.

Quanto mais componentes tiverem na sua construção, mais fácil o cliente se assustará e entenderá que aquilo custa mais do que seu preço real.

Por exemplo, escreva R$ 100 em vez de R$ 100,00 reais.

Algumas dicas extras

  • Fique atento à paleta de cores do seu site
  • O layout das suas redes sociais precisa conversar com o conteúdo
  • Para cada "dificuldade" que seu cliente possa estar passando, ofereça uma recompensa
  • Use e abuse de conteúdos persuasivos
  • Coloque-o em primeiro lugar.