Você já considerou a eficácia de um playbook de vendas?

Dentro do panorama competitivo atual, ter um playbook de vendas bem estruturado é essencial para alcançar o sucesso nas vendas.

Um estudo da Aberdeen Group, uma renomada empresa de pesquisa e estratégia, revelaram dados sobre o uso de playbooks de vendas nas organizações.

Segundo a pesquisa, 54% dos representantes de vendas que utilizam playbooks têm uma probabilidade maior de alcançar suas metas de vendas, em comparação com os 46% que não têm acesso a um playbook em suas organizações.

Além disso, as empresas que implementaram um playbook de vendas observaram um aumento significativo de 3.9% no tamanho de seus negócios. Esses números são impressionantes, mas há mais: usuários de playbooks de vendas também demonstraram melhorias consistentes ano após ano, superando aqueles que não adotaram essa ferramenta essencial.

Comparando com não adotantes, os usuários de playbooks de vendas apresentaram: 3.9% a mais na adoção de um CRM, em comparação com 2.9%; 1.9% de aumento na taxa de aceitação de leads, em comparação com 0.9%; redução de 0.9% no ciclo médio de vendas, enquanto aqueles sem playbook tiveram um aumento de 0.5% no ciclo.

Estes dados enfatizam a importância do playbook de vendas, não apenas para atingir metas, mas também para melhorar a gestão de relacionamento com o cliente, fechar negócios mais lucrativos, aumentar a eficácia na aceitação de leads e acelerar o ciclo de vendas.

Investir em um playbook de vendas bem estruturado não é apenas uma escolha inteligente, mas uma estratégia essencial para o crescimento e sucesso sustentável das empresas.

Entenda mais sobre o que é um playbook de vendas, como criá-lo e quais ferramentas podem ajudá-lo a executá-lo.

Veja a seguir: 


torne-se parceiro do Moskit CRM

O que é playbook de vendas? 

Construído com base na rotina comercial, o playbook de vendas é um documento que visa mapear todas as transações e ações que ocorrem, assim como os problemas, apontando soluções práticas e confiáveis de se aplicar.

Um dos seus maiores objetivos é a sistematização e qualificação de processos e profissionais, bem como os alinhamentos dos mesmos.

No entanto, ele não se resume a um conteúdo escrito. No playbook de vendas são aceitos imagens, vídeos e diversos outros formatos e mídias.

O playbook de vendas, ou livro de jogadas, em uma tradução literal, pode ser definido como um guia que detalha todo o conhecimento necessário para que o time comercial obtenha resultados satisfatórios.

Logo, o playbook de vendas é o manual do técnico da equipe de vendas.

O que deve ter num playbook de vendas? 

Ter um guia estratégico de vendas é fundamental para alcançar metas e superar desafios. Como veremos a seguir, o playbook serve como um compêndio abrangente, incorporando não apenas diretrizes, mas também a sabedoria acumulada e as estratégias testadas ao longo do tempo.

Ao fornecer dados fundamentais sobre a empresa e o mercado em que opera, o playbook estabelece uma base sólida para a compreensão do cenário comercial. Detalhando as funções específicas de cada colaborador, garante clareza e eficiência nas operações diárias. 

Além disso, oferece modelos prontos de comunicação, desde e-mails até mensagens no WhatsApp, assegurando uma apresentação consistente da marca em todas as interações com os clientes.

Veja só alguns dos elementos que devem conter no seu playbook de vendas: 

  • Dados sobre a empresa e o mercado;
  • Descrição da função de cada colaborador;
  • Templates de comunicação: e-mails, mensagens e WhatsApp;
  • Produtos e serviços detalhados; 
  • Uso da marca;
  • Jornada do cliente detalhada;
  • Metodologia de vendas;
  • Rotina do time de vendas;
  • Indicadores de desempenho da equipe de vendas;
  • Metas e objetivos;
  • Script de vendas;
  • Ferramentas, como, por exemplo, CRM;
  • Métodos de abordagem;
  • Argumentos de vendas;
  • Perfil e persona do cliente.

Por que criar um playbook de vendas?

Por se tratar de um guia bem fundamentado, o playbook de vendas consegue ajudar no estabelecimento de um funil de vendas pensado exclusivamente para a realidade da empresa, sendo bem mais efetivo. Essa personalização promove uma melhoria em diversos aspectos da negociação.

É através do playbook que também é possível desenvolver um modelo de vendas mais assertivo, este que rende um aumento na produtividade e ritmo de negociações.

Outra grande vantagem está na identificação de problemas no setor comercial.

Ao ter um manual que determina e ajuda em diversas funções, a probabilidade de reconhecer que alguma falha está ocorrendo é altíssima, tal qual sua rápida resolução. Sem contar que ao levantar esses pontos, é provável que exista uma prevenção para esse tipo de erro não aconteça.

Outro ponto extremamente importante em relação a esse documento é a capacitação e preparação que ele leva ao time comercial, que seguem o playbook como uma fonte de conhecimentos.

A gestão de vendas também tem muito a ganhar, pois, com a organização, as decisões podem se tornar mais práticas, e as metas e objetivos ganham uma nova luz.

Confira uma lista com as principais vantagens de adotar um playbook de vendas dentro de sua empresa:

  • Personalização do funil de vendas;
  • Desenvolvimento de um modelo de vendas assertivo;
  • Capacitação e preparação da equipe;
  • Padronização do processo de vendas;
  • Aumenta a taxa de conversão;
  • Diminui o custo de aquisição de clientes;
  • Otimiza os esforços;
  • Adapta o discurso de vendas.

Quando devo criar um playbook? 

O playbook de vendas é um importante documento de vendas. Nele, é possível encontrar informações sobre a rotina de vendas, descrição da jornada de compras, indicadores de desempenho, modelos para e-mail e muito mais.

Quando criar um playbook de vendas

Ele é, sem dúvidas, fundamental para estruturar o setor de vendas e se preparar para vender melhor. No entanto, pode ser complicado entender o melhor momento para criar o playbook de vendas da sua empresa. 

Antes de partirmos para as dicas que te ajudarão a identificar os melhores momentos para criar seu playbook de vendas, é importante ressaltar, novamente, que esse é um documento essencial para o setor comercial, portanto, independentemente de quando se escolher fazê-lo, ele continuará contribuindo com sua função.

Setor de vendas precisa de orientação

Quando falta um direcionamento no setor de vendas, o playbook é mais que bem-vindo.

Para que as vendas aconteçam, é preciso que acima de tudo exista um alinhamento entre o que é esperado e o que precisa ser feito. Portanto, nesse cenário o playbook pode fazer toda a diferença.

No playbook de vendas, é possível encontrar um manual completo de como funciona o setor, quais as ferramentas devem ser utilizadas e as ações e estratégias que podem ser aplicadas nas mais diversas situações.

Além de conter dados sobre uma rotina de vendas estruturada, que contribuem para orientar o time comercial. 

Expansão de conhecimento é necessária 

É possível que existam colaboradores no setor comercial que estão lá a algum tempo, mas ainda assim não conheçam tanto quanto a empresa como era esperado.

Com o playbook de vendas, o time tem um verdadeiro manual sobre todos os aspectos que envolvem a empresa e vendas, entendendo mais sobre a missão, propósito, visão e como isso se aplica na sua rotina.

Assista também:

O playbook também ajuda a entender mais sobre o mercado e adquirir o conhecimento necessário para dominar as negociações e retomar o poder. 

Treinamento de vendas 

Novos colaboradores, ou até mesmo os que já estão inseridos na dinâmica da empresa, podem se beneficiar do playbook de vendas durante os treinamentos.

O treinamento de vendas é o processo que visa melhorar habilidades, conhecimentos e atributos da equipe de vendas para impulsionar a mudança de comportamento do vendedor e maximizar o sucesso nas vendas.

Um treinamento para a equipe de vendas pode ser muito vantajoso para a empresa, pois quando os profissionais estão preparados para exercer sua função, os riscos de falhas e erros são bem menores.

Mas não só, o treinamento é importante para que a equipe de vendas aprender as melhores estratégias e táticas para lidar com seus clientes em potencial.

O playbook de vendas contribui para acontecer essa orientação, sendo uma maneira de se integrar com as atividades internas e entender mais sobre a cultura de vendas. 

Quem deve escrever o playbook de vendas? 

O responsável, ou os responsáveis, por escrever esse documento podem variar de uma empresa para outra, pois ele pode ser elaborado por um time interno composto por especialistas de vendas, gestores e membros da equipe operacional que possuam um profundo entendimento do produto ou serviço oferecido.

Já em algumas situações, as empresas optam por contratar uma consultoria externa especializada em vendas para desenvolver o playbook.

A consultoria externa tem suas vantagens, pois traz uma perspectiva imparcial e experiência diversificada para o processo. Ela pode ajudar a ampliar a visão e estratégia da empresa, além de reduzir os riscos de processos com erros. 

No entanto, é crucial ressaltar que a colaboração entre a consultoria externa e a empresa é fundamental. A empresa deve estar ativamente envolvida no processo para garantir que o playbook seja personalizado segundo a cultura, os valores e as práticas específicas da empresa.

A consultoria externa pode trazer dados valiosos, mas somente em parceria com a empresa é possível alcançar um resultado satisfatório e condizente com a realidade do negócio. 

Portanto, independemente de quem escreva, lideres, especialistas ou consultores, é importante entender que o playbook de vendas é um esforço colaborativo que envolve a expertise interna da empresa e, quando necessário, o suporte valioso de consultores externos para criar um documento abrangente e eficaz que orienta a equipe de vendas na obtenção de resultados positivos.

Como criar um playbook de vendas?

Que o playbook é um documento muito importante para melhorar seu desempenho comercial é um fato irrefutável, mas como trabalhar isso dentro do seu setor?

É comum a contratação de uma consultoria especializada para ajudar a ajustar essa estratégia. Só que apenas ela não garantirá um manual bem preciso, isso porque, apesar de ser um documento focado na área comercial, para que seu desenvolvimento seja contundente, é necessário que os líderes de todas as áreas da empresa colaborem, já que as vendas só ocorrem através de um trabalho de toda a empresa.

Sendo assim, preparamos algumas dicas de tópicos cruciais que vão te ajudar a começar desenvolver seu playbook de vendas:

O que abordar no seu playbook de vendas

1. Contextualização da história da empresa

O playbook de vendas é um documento desenvolvido especificamente para a sua empresa, logo, é necessário que exista uma contextualização sobre quem vocês são e o que vocês fazem.

Contar a história da empresa mostra para o profissional que está visualizando aquele manual, qual a real intenção dos fundadores quando pensaram nela, deixa bem claro sua missão, valores e visão empregados. 

Facilitando até a compreensão do resto do playbook, fazendo com que olhem sob essa perspectiva que lhes foi apresentada.

É interessante descrever com detalhes os principais aspectos sobre a empresa, pois isso também ajuda na criação de valor do leitor, entendendo mais sobre o propósito dela e como ela se diferencia das suas concorrentes. 

2. Como ela ajuda o consumidor

A sua solução, seja ela qual for, é trabalhar ajudando o consumidor a resolver alguma dor que ele possa ter.

Mostre quais podem ser as dores solucionadas pelo seu produto/serviço.

Por exemplo, uma empresa que trabalha vendendo CRM ajuda o seu consumidor a organizar seu setor comercial de maneira mais assertiva, capaz de gerar um aumento no número de vendas.

Entendeu?

Ter apontamentos de como sua empresa ajuda o consumidor e a dor dele, dará uma perspectiva mais ampla para o leitor. É importante ressaltar que muitas vezes quem precisa do playbook de vendas é o vendedor e ele, mais que ninguém, deve dominar esse tópico, pois é dele que saem seus argumentos de vendas e sua proposta para o cliente. 

3. Segmento de mercado

No mercado existem diversos segmentos, definir em qual a sua empresa atua, possibilita que as estratégias sejam mais focadas e o retorno seja bem maior.

Vale a pena explicar como esse segmento funciona, quais são seus pontos fortes e pontos fracos.

Isso ajuda a enriquecer abordagens, ações e argumentos de vendas, o que, sem dúvidas, reflete no número e fechamentos.

Uma pesquisa de mercado anexada ao playbook, por exemplo, pode ser uma maneira de enriquecer o documento com a segmentação de mercado e como os concorrentes e consumidores estão vendo a empresa.

Também é interessante anexar dados da sua análise SWOT, pois nela existem detalhamentos importantes sobre os pontos fracos e fortes no macro e no microambiente. 

4. Treinamento de equipe

Para se adaptar ao seu segmento e conseguir se encaixar nos critérios necessários da empresa, é fundamental promover um treinamento e ter à disposição materiais para capacitação profissional da sua equipe.

É o treinamento que molda o comportamento do profissional de vendas, tudo que ele aprende lá ditará a maneira com que ele lidará com os consumidores e as ações do setor, sendo assim é importante fornecer um treinamento amplo e completo.

Vão existir pessoas dos mais diversos níveis de conhecimento, sendo fundamental discutir do básico ao avançado e incluir todos os tópicos que achar necessário para aumentar a carga de conhecimento da equipe de vendas.

Dentre as habilidades e temas que precisam ser aprimorados e discutidos, existem alguns que não podem ficar de fora e devem ser listados no seu playbook de vendas:

  • Habilidades de comunicação;
  • Como lidar com objeções;
  • Informações sobre a empresa: 
  • Como criar conexão com um cliente;
  • Como utilizar ferramentas.

5. Público-alvo e persona

Para quem você vende? Em que lugar ele está localizado? Qual a faixa etária dele? Quais suas opiniões em relação a determinado assunto?

Todas essas perguntas são extremamente importantes e podem ser respondidas através de um estudo de público-alvo e buyer persona.

Saiba mais: Qual a diferença entre buyer persona e público-alvo?

Conhecer o seu cliente te dá munição e campo para explorar melhor suas estratégias de vendas. Esse conhecimento também colabora para que você foque em pessoas que realmente podem ser atendidas pela sua solução.

Caso sua empresa não tenha nenhum deles definido com precisão, essa pode ser a chance. 

As personas do comprador representam o tipo de comprador que você identificou como o provável de obter utilidade (ou satisfação) de sua organização ou produto.

Embora uma organização possa ter várias personas de comprador, elas não são apenas demográficas.

Traçar esses perfis de compradores que reúne insights úteis sobre seus hábitos de compra e como atraí-los com o discurso de vendas relevante e informações sobre o produto. Isso porque as pessoas  permitem que você entenda melhor as necessidades e desejos de seus clientes, o que te ajuda a fazer um trabalho mais eficiente de atrair esses desejos específicos e para conhecê-los. 

6. Entrada de leads

A empresa possui algumas estratégias para atrair leads, ou seja, consumidores interessados em sua solução que podem fazer negócio.

Listar todas essas ações mostra para o seu colaborar quais esforços são necessários fazer para que o cliente conheça a empresa

Uma empresa pode gerar leads através de diversos canais, sejam eles onlines, offline ou até mesmo um mix dos dois. 

No entanto, é importante, que esteja listado as maneiras com que os leads entram na empresa. Ou seja, por campanhas, indicações, inbound marketing ou com ferramentas para geração de leads.

Independente de como eles chegam é nesse momento que também deve ser sinalizada as maneiras com que eles são distribuídos internamente, qual a maturidade que os leads chegam lá, isto é, quanto eles precisam ser trabalhados para avançar na venda.

7.  Processo de vendas

O processo de vendas é o método que sua empresa segue para vender seu produto ou serviço aos clientes. Envolve uma série de etapas, desde o contato inicial com um lead até a venda final.

O processo de vendas é semelhante ao desenvolvimento de um relacionamento com alguém novo. Quando vocês se encontram pela primeira vez, vocês se conhecem, aprendem do que eles gostam e determinam seus objetivos. Ao longo do caminho, você decide se pode trabalhar junto e se é compatível. Se for esse o caso, o relacionamento pode prosseguir e crescer.

Toda a pesquisa e informações dos tópicos anteriores levam a estruturação do processo de vendas, neste tópico são catalogadas e explicadas as etapas de vendas, objetivos, tarefas e duração do processo de vendas.

A maneira como a equipe de vendas se organiza também é apontada.

As estratégias de topo, meio e fundo do funil são listadas, assim como as ações que devem ser tomadas para converter o lead em casa fase do funil.

8. Ferramentas

Por mais organizado que seu setor comercial seja, é impossível ele rodar sem alguma ferramenta para ajudar a operacionalizar ou automatizar algumas funções. É importante apontar por que elas foram adotadas, seja por ajudar nos custos, ou promover produtividade.

Algo que deve ser ressaltado é que uma ferramenta de vendas é qualquer software que melhore seu processo de vendas, tornando-o melhor, mais rápido ou mais barato. Mas uma ferramenta só é útil se você escolher a certa e considerar como ela se encaixa em seus sistemas e métodos de comunicação atuais.

Em seu playbook liste quais são essas ferramentas, como, quando e porquê usá-las e quais os resultados que pode se obter com cada uma delas. 

9.Metas e objetivos

Ninguém vende por vender, a empresa sempre tem algum objetivo por trás de suas estratégias. Sendo assim, é importante sinalizar em que lugar ela planeja chegar e quando.

Definir metas é uma etapa importante, pois é através delas que os resultados podem ser medidos e as realizações almejadas serem concluídas.

O estabelecimento de metas ajuda indivíduos e organizações a se motivarem em direção ao desejo deles. Em um ambiente de trabalho positivo, o desenvolvimento de metas elevadas pode aumentar o engajamento dos funcionários e criar entusiasmo que estimula a ação. 

Estabelecer metas pode ainda colocar em perspectiva o que deve ser feito, quando deve ser feito e quem deve fazer e isso dentro de um setor como o de vendas é essencial, posto que em que num momento  tudo pode mudar e se transformar. 

Apresentando seu playbook de vendas

Existem três pontos importantes para definir o modelo do seu playbook de vendas: a linguagem, o template e a apresentação.

Linguagem clara e objetiva

Ao desenvolver seu playbook de vendas, é importante adotar uma linguagem direta e objetiva. Evite enrolações e vá direto ao ponto para garantir que as informações sejam claras e compreendidas por todos os leitores. 

Uma comunicação transparente é fundamental para evitar dúvidas e mal-entendidos em relação ao conteúdo do documento. Ao utilizar uma linguagem concisa, você ajuda sua equipe a absorver as estratégias de vendas de forma eficaz, promovendo uma compreensão sólida das diretrizes estabelecidas.

Template

O template deve ser de fácil acesso, garantindo que os colaboradores possam navegar pelo conteúdo de maneira intuitiva. Além disso, manter um padrão visual coeso em todo o playbook é essencial para criar uma identidade visual forte. 

Um design consistente reforça a marca da empresa e facilita a compreensão das informações, tornando o playbook mais atraente e fácil de usar para todos os envolvidos.

Apresentação

Uma apresentação de sucesso do playbook de vendas começa reunindo toda a empresa, não se limitando apenas ao setor comercial. O playbook contém informações valiosas de todos os departamentos, sendo uma fonte abrangente de conhecimento organizacional. 

Ao explicar os motivos que levaram à criação do playbook e seus objetivos, você envolve todos os colaboradores, proporcionando uma compreensão clara da importância do documento para o crescimento e sucesso da empresa, desta forma é possivel promover uma compreensão coletiva e sua equipe estará mais bem preparada para implementar as estratégias delineadas no playbook, fortalecendo assim as operações de vendas da empresa.

A importância da atualização das informações 

Nos mercados instáveis e em constante transformação, a capacidade de se ajustar e se reinventar é essencial. A cada ano, novas tendências e tecnologias emergem no cenário de vendas, transformando a maneira como as empresas interagem com os clientes e conduzem negócios.

Veja também:

Atualizar o playbook regularmente é uma estratégia inteligente e proativa. Isso não apenas mantém a equipe de vendas atualizada com as últimas práticas e abordagens eficazes, mas também permite que a empresa aproveite ao máximo as oportunidades emergentes. Com o avanço da tecnologia e a crescente interconectividade dos mercados, estar à frente das mudanças é mais importante do que nunca.

Além disso, ao renovar o playbook, as estratégias de vendas são revitalizadas, ganhando uma nova perspectiva que pode levar a um aumento significativo na eficácia. O playbook atualizado não apenas oferece aos membros da equipe um roteiro claro e relevante, mas também fornece dados precisos e contextuais sobre a empresa e seus clientes. Isso não apenas melhora a tomada de decisões, mas também aumenta a confiança da equipe, permitindo que eles enfrentem desafios com conhecimento e habilidade.

Um playbook de vendas atualizado não é apenas uma ferramenta; é um guia estratégico que ajuda a equipe a se adaptar às mudanças, aprimorar suas habilidades e a conduzir negociações mais bem-sucedidas em um mundo de negócios dinâmico e competitivo. Ao investir na atualização constante do playbook, as empresas garantem que estão sempre à frente da curva, prontas para enfrentar qualquer desafio e aproveitar todas as oportunidades que surgem no mercado em constante evolução.

Playbook de vendas aliado com um software comercial

O playbook de vendas é sem dúvidas uma excelente estratégia para estruturar o processo de vendas, e, como toda ação implantada na empresa, é preciso de um acompanhamento.

Ao unir um playbook eficaz com um software comercial robusto, as equipes podem maximizar seu potencial. Veja algumas funcionalidades presentes no Moskit CRM que proporcionam isso,

Como a automação ajuda a execução do funil de vendas? 

A automação desempenha um grande auxílio na execução eficiente do funil de vendas, trazendo uma série de benefícios significativos. 

Em primeiro lugar, ela otimiza o tempo ao automatizar tarefas repetitivas e demoradas. Isso libera os membros da equipe para se concentrarem em atividades que requerem habilidades humanas, como o fechamento de negócios e a construção de relacionamentos com os clientes.

Além disso, a automação ajuda a definir responsáveis e cria um senso de organização no funil de vendas. Ao atribuir tarefas e leads aos membros específicos da equipe, a automação garante que cada estágio do funil seja gerenciado de maneira apropriada. Aumentando não apenas a eficiência, mas também garantindo que nenhuma oportunidade seja negligenciada.

Mas como isso funciona na prática em um CRM como o Moskit? 

Supondo que você é o gestor de uma empresa que vende um software e seu funil seja composto pelas etapas: lead, qualificação, demonstração agendada, negociação, maturação e ganhou ou perdeu. Você deseja que todo novo negócio que entrar na fase de qualificação seja direcionado para um usuário específico.

Para isso, será necessário acessar a a automação  disponível no plano professional do Moskit e criar uma nova automação, configurando as opções da seguinte forma:

Essa ação pode ser repetida de várias maneiras, já que a automação do Moskit permite automatizar ações e atividades do seu funil de vendas descritas em seu playbook. 

Ou seja, ela existe para garantir que as ações do seu funil de vendas sejam executadas seguindo uma ordem pré-definida em seu playbook, economizando tempo e resultando em uma estratégia de vendas mais eficiente e orientada para resultados.

Execute regras do playbook de vendas com o Easy Flow 

Quando falamos de vendas, seguir uma sequência bem definida pode ser a chave para o sucesso. É por isso que o Easy Flow foi desenvolvido: para tornar o processo de vendas transparente e eficaz. Imagine o Easy Flow como um guia confiável que não apenas orienta sua equipe, mas também garante que cada etapa crucial seja seguida, levando os negócios do início ao fechamento.

Se você tem um playbook que descreve claramente as fases do seu funil de vendas — como cadastro, agendado, maturação e fechamento — e deseja que essas fases sejam seguidas à risca, o Easy Flow é a ferramenta ideal para você. Com essa funcionalidade, é possível definir regras e criar uma sequencialidade no sistema. Em termos simples, se o gestor quer que as etapas sejam cumpridas em uma ordem específica, o Easy Flow possibilita que isso aconteça.

Mas não para por aí. O Easy Flow também oferece campos obrigatórios e importantes, o que significa que informações vitais são coletadas no momento apropriado. Isso não apenas impede que etapas essenciais sejam ignoradas, mas também sinaliza a importância de cada campo para que o vendedor possa avançar no funil. 

Além disso, o gestor tem o controle total, decidindo se os consultores podem avançar livremente pelo funil ou se a sequencialidade é obrigatória. 

Essa decisão não só garante que todos, exceto os administradores, passem por todas as etapas, mas também oferece a flexibilidade necessária para ajustar o processo de acordo com as necessidades específicas da sua empresa.

A gestão ainda pode determinar se os negócios podem ser transferidos para outros funis e se podem ser considerados ganhos a partir de qualquer fase ou apenas da última etapa. Isso significa que você não apenas controla o fluxo do processo de vendas, mas também garante que os negócios sigam um caminho claro, desde o início até a conclusão.

Como isso funciona na prática? 

Supondo que a ordem do funil presente do seu playbook seja: cadastro, qualificação, demonstração agendada, negociação maturação, ganhou/perdeu. É possível fazer com isso aconteça com o Easy Flow, como no exemplo a seguir:

Mas não para por ai, já que em cada fase você pode criar alguns critérios para os negócios avançarem. Por exemplo, na fase cadastro podem existir o campo obrigátorio de contato relacionado e campos importantes a data prevista. É importante pontuar que existe uma diferença. Enquanto campos obrigatórios não permitem o usuário avançar sem preencher aquele dado, os importantes, são dados que, embora sejam relevantes, não são fundamentais para avançar de fase.

Na hora de cadastrar um novo contato, os campos importantes permanecem em vermelho, até que o dado seja completado, impossibilitando o envio sem a informação.  Já os campos enquadrados como importantes, ficam em amarelo e podem ser submetidos, mesmo sem estarem preenchidos. 

Veja como é configurado no sistema: 

Ao adotar um software comercial, além de ter um sistema que te auxilia a vender mais, é possível criar o seu playbook de vendas direto na plataforma, simplificando a organização do funil de vendas e aumentando o controle do processo de vendas.

O Moskit CRM é uma ótima escolha para quem busca funcionalidades e resultados já que além de ser um software pensado para o gestor brasileiro, ele também conta com funcionalidades como automação e Easy Flow.

Nao perca mais tempo comece um teste gratuito e veja como podemos te ajudar.

Teste grátis