Sua mente está destruindo seus resultados

Sua mente está destruindo seus resultados

A mente é tudo. Demorei para aprender, mas hoje está claro para mim que os resultados que alcançamos na vida, podem estar ligados a uma aleatoriedade cômica da vida, mas também,** em muitas situações, estão conectadas com a maneira que temos de encarar a realidade em nossa volta** e no modo como nos percebemos diante das decisões das nossas vidas.

Ninguém avança na vida somente com pensamento positivo, é preciso agir. Obviamente que nem tudo que planejamos realmente é aquilo que acontece. Os percalços são sim inevitáveis, mas a maneira com que encaramos as coisas nos fornecem ou não uma saída.

Diante disso, temos que aprender a ser vigilante contra possíveis crenças que destroem a lucidez e concentrar-se em retirar do caminho determinados bloqueios para remediar possíveis pensamentos que tornam-se infecciosos a nós mesmos.** No final, se não cuidamos desses pensamentos, acabamos nos repelindo de nós mesmos e comprometendo resultados.**

Quero te fornecer alguns pensamentos que eu mesmo já tive que me causaram um certo desespero diante de uma realidade que eu mesmo criava na mente.

Lute contra a percepção de que sempre falta algo

Sabe aquele sentimento de que mesmo que algumas coisas estejam bem, parece que falta sempre algo? Alguém já disse que o desejo é a falta. E eu concordo.

Lembro que quando eu era estagiário, meu maior sonho era ser efetivado. Depois que isso aconteceu, eu queria ser coordenador. No dia que isso aconteceu, eu notei que essa luta diária pela conquista de cargos era mais como uma maneira de responder às expectativas de outros do que realmente o que eu gostaria de fazer.

Isso não quer dizer que não devemos ter ambição. Um sujeito sem ambição é um morto-vivo. Estou falando de estar com a cabeça sempre naquilo que não temos sem aproveitar o tempo e a paciência de aprendizado do degrau que ocupamos hoje.

Aquela ideia de que não temos o suficiente para sermos felizes nos persegue. Para lidar com isso, é preciso parar um pouco e voltar em si.

Revisite aquilo que vale a pena

Uma boa maneira que aprendi de lidar com as ausências da vontade foi apresentando-me a mim mesmo às minhas presenças. Ou seja, aprendendo a entender as conquistas como munições motivadoras.

Bem, se você não tem o cliente ideal hoje, que tal atendê-lo da melhor maneira que conseguir os que já tem? Se você não tem o salário de que gostaria, que tal traçar realmente um modo real de tentar alcançá-lo? Se você não tem condições necessárias de trabalho, que tal começar a galgar isso?

Quando faço o exercício de obrigar-me a revisar o que tenho em mãos nos dias de hoje, começo a identificar potencialidades e passo a me ver mais focado a trabalhar melhor para alcançar resultados que ainda não tenho.

Focar no hoje, no agora, pode nos ajudar a sair desta zona de insatisfação. A gratidão real pelo que temos hoje deve nos fazer aproveitar melhor sem deixar de olhar o amanhã.

Abandone a ideia de que a culpa do seu insucesso está no outro

“Encontrar culpados talvez seja um esporte preferido de todo fracassado nato”, brincou Millôr Fernandes. Sem papo furado. Determinadas situações realmente nos machucam, no fazem ver a vida com outro olhar e podem até criar traumas reais.

Não podemos ignorar o fato de que nossas histórias e caminhos nos tornam quem somos. Sempre repito que pensamos o que pensamos, somos o que somos e fazemos o que fazemos porque nossa história nos empurrou para isso.

No entanto, temos que aprender a lidar mais com a consequência do que fizeram com a gente do que com situação que nos deixou assim.

O poder de mudar suas circunstâncias pode não depender só de nós, mas é nossa responsabilidade perceber a parcela de culpa que temos em tudo e nos responsabilizar de maneira madura, mas sempre agir antes de condenar-se.

**Fique de olho na capacidade de sabotar-se **

Quem é que nunca se viu em um cenário de auto-sabotagem? Isso acontece porque temos aquela sensação de que somos estamos sendo um impostor. Conhecemos os nossos limites, por isso, acreditamos que eles são maiores que nossa capacidade, e então, na angústia de fracassar, nos vimos paralisados diante de novos desafios. É o medo ser identificado como alguém inapto, inadequado e insuficiente.

A falta de confiança é a principal dificuldade para quem sofre desse mal de ficar congelado diante de oportunidades novas. Esta síndrome acaba assassinando a iniciativas e nos privando de colocar nossas capacidades a disposição de si e do outro.

Lutar contra tudo isso vai te ajudar a sentir-se mais leve

Para driblar isso, é preciso aprender a lidar com os sentimentos. Podemos evitar buscar padrões inatingíveis, aprender a considerar que não podemos ter todo o conhecimento sobre algo, que não temos como atingir performances além do que aguentamos, e nem muito menos acostumar-se a esconder diante das tarefas mais complexas.

Embora estejamos vivendo uma cultura empresarial ou acadêmica que incentiva uma alta competitividade reforçando ainda mais os estereótipos socioculturais, podemos sim aprender a sair um pouco de pressão a realizar o olhar sobre tudo que estamos fazendo.

Algumas maneira de repensar todo esse processo é identificar se você sempre cria desculpas com a finalidade de tentar justificar êxitos reais como apenas um golpe de sorte, um acaso ou uma coincidência, observe se você fica muito abalado com críticas construtivas, se diante de possíveis evidências do fracasso, o desânimo costuma tomar a frente para decidir ou se vive sempre querendo criar um cenário superficial para evitar com que te percebem como uma fraude.

Aprenda a lidar com sua mente ou vai  perder para ela

A melhor forma de aprender a lidar com sua mente é buscar caminhos de conhecer-se.  Atente-se para tudo o que está em seu entorno, por isso influencia diretamente na forma que você atua. Se você deseja evitar a procrastinação, tire de perto toda possível distração.

Evite contato com pessoas que tragam reforço para seu comportamento nocivo. Crie uma programação padrão para organizar-se diante das dificuldades. Novos comportamentos tornam-se habilidades somente depois de muito treino. Esteja sempre pensando sobre o porque e para que está fazendo o que esta fazendo.

Só isso te colocará mais perto de você, e automaticamente mais perto dos resultados que gostaria.