Vida de vendedor não é para qualquer um

Vida de vendedor não é para qualquer um

Vida de vendedor não é fácil.

Reuniões desmarcadas em cima da hora, compromissos furados e, para quem vende presencial, é comum dirigir longas distâncias para descobrir que não vai ser atendido.

Ontem mesmo um cliente foi grosso. Ficou irritado comigo sem nenhuma razão. Eu só não tinha mais comissão para tirar e reduzir o custo final do produto. Vender é assim, na maioria das vezes o desconto que faz o cliente fechar sai do meu bolso.

E pode parecer mesquinho dizer isso, mas é que vendedor não tem salário alto. A gente paga as contas mesmo é com o dinheiro da comissão.

É isso que faz a gente acordar cedo, escolher a melhor roupa e colocar esse sorriso na cara. **Nossas contas são pagas cliente a cliente, uma guerra por dia. **

E não tem nada garantido aqui, irmão. Não pode ter dia ruim.

Outro dia ouvi um amigo dizendo que meu trabalho é só tomar cafezinho e ficar jogando papo pro ar. Nessas horas a gente respira fundo para não perder a amizade.

Mas quer saber como é meu trabalho?

Eu conto pra vocês:

Para ganhar uma venda, eu preciso conhecer mais realidades e cenários de problemas do que eu jamais vou conseguir viver. O cliente pode ter só um problema, mas eu atendo centenas desses problemas por mês.

Vendedor que é vendedor estuda pra cacete, amigo. Eu tenho que ter a resposta perfeita pra cada situação que me aparece.

Vender é técnica.  E meu chefe não quer saber como eu fechei aquele cliente, mas eu li todos os livros de SPIN Selling do mercado, li Aaron Ross falando de receita previsível e decorei Influência, do Robert Cialdini.

Quem vê de fora acha que é só meia hora de papo furado e depois receber o bônus. **Quem assiste o espetáculo não sabe o trabalho que acontece nos bastidores. **

O rapaz do marketing, quando acorda de mau humor, coloca o fone de ouvido e passa o dia no canto dele. Quando eu chego num dia difícil, preciso engolir seco, dar um gole no café e tratar meu cliente com a mesma atenção e carinho de sempre.

E pode parecer que estou chorando as pitangas, mas a real é que vender não é pra qualquer um.

Eu tenho muito orgulho disso.

Quantos profissionais você conhece que receberiam tantas respostas negativas sem se deixar abalar? Saber vender exige resiliência. É um forte exercício de inteligência emocional e visão de longo prazo.

E ainda falam que vendedor só quer bater meta.

Bater meta é só uma direção. A gente precisa de números altos sim, mas só vale se o cliente estiver satisfeito. É vender sabendo que o cara não vai cancelar no mês seguinte, que a reputação da empresa está intacta e, na hora de botar a cabeça no travesseiro, ainda ter a consciência tranquila de que fez o melhor para todo mundo.

Vendedor bom é aquele que o cliente trata feito amigo, que volta pra comprar mais e pedir conselhos. E isso, não tem grana que pague.

Mas se você ainda não entende a importância de um bom vendedor, fique de olho nos resultados.

Eles falam por conta própria.